Cultura

Decisão final gera expectativa

Fernando Neto | Mbanza Congo

O processo de inscrição da cidade de Mbanza Kongo à lista do património mundial pela UNESCO está a criar expectativa às autoridades angolanas e à população da província do Zaire.

O mês de Julho é apontado como data-limite para a UNESCO anunciar a decisão final da candidatura da cidade histórica. “A expectativa dos angolanos é positiva depois de um trabalho árduo de oito anos, realizado sempre em concordância com as exigências da UNESCO para dar respaldo a ideia de garantir o sucesso ao projecto”, realçou Sónia Domingos, directora científica do projecto “Mbanza Kongo, Cidade a Desenterrar para Preservar”.
Sónia Domingos disse ao Jornal de Angola que o dossier em questão foi entregue a de 28 Janeiro último na sede da UNESCO em Paris, França. As autoridades angolanas aguardam pela resposta daquele órgão das Nações Unidas, gestor dos assuntos culturais a serem emitidos antes da reunião do Comité do património mundial previsto para Julho deste ano na Polónia.
Neste momento, decorrem acções do fórum diplomático, através das quais os Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores incluindo a embaixada de Angola junto da UNESCO desdobram-se em contactos de acertos finais que podem garantir um desfecho positivo à candidatura de Mbanza Kongo.
Depois dos trabalhos técnicos que consistiram na prospecção, escavações arqueológicas e envio do dossier a sede da Unesco, prosseguem também no terreno trabalhos finais de ordem técnica, tendente a efectivação do processo de restauração, para melhor conservação dos monumentos e sítios históricos da antiga cidade de São Salvador do Kongo.
“Tivemos a visita de técnicos estrangeiros de conservação e restauro de estruturas arquitectónicas históricas que realizaram um levantamento das estruturas catalogadas e estabeleceram um cronograma de acções, entregues as entidades superiores para avaliação” asseverou Sónia Domingos. Para a inscrição da cidade de Mbanza Kongo, a Comissão de Gestão do projecto de candidatura seleccionou os monumentos históricos como o Kulumbimbi, a primeira catedral construída a sul do Equador, a árvore milenar Yala Nkuwo, o cemitério dos reis, Tadi-dia-bukikua, local utilizado para a conservação dos corpos dos reis através de embalsamento tradicional.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia