Cultura

Defendida uma maior difusão e preservação do património cultural

O adido cultural da Embaixada angolana em Portugal, Luandino Carvalho, declarou, em Lisboa, que uma maior divulgação do património cultural e dos recursos naturais e paisagísticos do país pode contribuir para alavancar a economia nacional.

O adido cultural da Embaixada angolana em Portugal Luandino Carvalho
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Luandino de Carvalho falava à Angop a propósito do encontro de “Capacitação das Comissões Nacionais da UNESCO de países de língua portuguesa”, realizado pela Comissão Nacional da UNESCO. Luandino de Carvalho defendeu um maior envolvimento do Ministério da Cultura no trabalho de valorização, preservação e gestão do  património cultural nacional. “Neste momento temos de cuidar e preservar Mbanza Kongo pela responsabilidade que agora tem no contexto mundial”, e inscrever outros locais visando a afirmação de Angola como nação na região e no mundo. Luandino Carvalho acrescentou que o evento da UNESCO permitiu perceber a importância que se deve dar à gestão responsável, atenta e profissional do vasto e diversificado património material e imaterial do país.

Tempo

Multimédia