Descriminação é tema de uma nova biografia


20 de Outubro, 2014

O realizador Stephen Hopkins anunciou que vai começar a filmar em Berlim a história do atleta negro norte-americano Jesse Owens, que em 1936 conquistou quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas organizadas pela Alemanha.

As Olimpíadas de 1936 decorreram sob as bandeiras da suástica da Alemanha nazi. O regime racista defendia a superioridade da “pura raça ariana” e foi nesse contexto que o negro Jesse Owens ganhou quatro medalhas de ouro. Hitler recusou-se a apertar-lhe a mão.
A história merece ser contada no cinema e é o que Stephen Hopkins pretende fazer com o actor estreante Stephan James e os consagrados William Hurt, Jeremy Irons e Jason Sudeikis.
O filme surge num contexto súbito de interesse pela vida de Jesse Owens que, além deste, inspira outros três projectos. A produtora Kate Garwood riu-se ao explicar ao “El País”: “Não sei porquê, mas isto é comum no cinema, como quando se fizeram três ‘Alexandre o Grande’ ao mesmo tempo.”
Intitulado “Race”, o filme conta com Jeremy Irons no papel do controverso Avery Brundage, o presidente do comité olímpico que defendeu que as olimpíadas fossem disputadas na Alemanha nazi. Isso não parece incomodar o actor, que disse ao “El País”: “Há pessoas que dizem ter sido um homem terrível. Mas era muito pragmático e acreditava que o desporto não tinha nada a ver com política.”
“Race” mostra também a cena em que Adolfe Hitler se recusa a apertar a mão a Jesse Owens quando ele vence a quarta medalha. O filme estreia nas salas de cinema em 2016 pelas Focus Features.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA