Desenvolvimento das artes requer contributo de todos

Roque Silva
3 de Maio, 2016

Fotografia: Domingos Cadência

A promoção das artes plásticas angolanas requer maior envolvimento da sociedade, assim como a divulgação de outras expressões artísticas, de acordo com o secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley, ao discursar na cerimónia de outorga do prémio Ensa-Arte 2016, realizada em Luanda.

Caley defendeu ainda a realização de feiras regionais, municipais e comunais, em todas as províncias, para que a divulgação das artes seja mais abrangente a nível nacional.
Cornélio Caley, que representou a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, considerou que todos os sectores da sociedade devem contribuir para preservar a história, apoiando a promoção das artes e a divulgação de usos e costumes.
A cultura representa a identidade de um povo, pelo que a sua preservação constitui tarefa e missão de todos os angolanos. “Angola é um país novo, no qual os seus filhos precisam de se conhecer melhor através das artes.”
Embora tenha informado a existência de projectos para a construção de museus, apelou aos invstigadores no sentido de acompanharem essas instituições que têm como objectivo estudar, preservar e divulgar matérias científicas sobre a vida e a natureza do país. O presidente do Conselho de Administração da Ensa, Manuel Gonçalves, considerou que o crescimento de um país tem uma forte ligação de natureza cultural por ser uma componente intrínseca às pessoas envolvidas nesse processo de desenvolvimento económico e social.
“A arte e os criadores devem ser protegidos porque se circunscrevem na transmissão dos elementos identitários da cultura.”

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA