Cultura

Desinfectados espaços públicos no Huambo

Estácio Camassete e Marcelino Wambo | Huambo

Os mercados, hospitais, paragens de transportes públicos, instituições bancárias e áreas adjacentes, na província do Huambo, foram desinfectados, no âmbito das medidas de prevenção contra a Covid-19.

Fotografia: Edições Novembro

O director do Gabinete Provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural disse que a desinfecção abrangeu os mercados da Quissala, vulgo “Alemanha”, Omiñlu, na Baixa da Cidade, Cacilhas, os hospitais Central, Psiquiátrico, Sanatório e as instituições bancárias, por serem locais favoráveis ao surgimento de casos de contaminação da pandemia.

António Camuti garantiu que estão disponíveis dois mil e 400 litros de produtos de desinfecção. Referiu que o Governo da Província disponibilizou dois tractores pulverizadores, com capacidade para 400 e 800 litros de produto. O processo envolve efectivos dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros e técnicos da Agricultura.

O administrador-adjunto do mercado da Quissala, Albino Nunda, considerou oportuno o trabalho de pulverização, que visa acautelar possíveis casos da Covid-19. Aquele mercado, acrescentou, regista diariamente mais de duas mil pessoas, entre vendedores e clientes.

Núcleo de teatro

O Núcleo de Teatro do Huambo tem estado a sensibilizar a população sobre as medidas de prevenção da Covid-19 através de uma rádio-novela, emitida na Emissora Provincial da Rádio Nacional de Angola.

A rádio-novela, emitida às segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 13h30, faz parte do projecto “SOS Teatro. Nelson Nhanga, coordenador do núcleo provincial de teatro e mentor do projecto, assegurou que a iniciativa está a contribuir para a educação das comunidades sobre o novo coronavírus.

Os conteúdos da rádio-novela, disse, estão focados na transmissão de mensagens sobre as medidas de prevenção e de combate contra à Covid-19. Os actores, acrescentou, foram seleccionados de diferentes grupos de teatro da província do Huambo.

Nesta fase de confinamento, aconselhou, cada um deve ser voluntário para ajudar o Governo da Província na sensibilização das comunidades e transmitir mensagens que ajudem a salvar muitas vidas.

“Além de ficar em casa, é fundamental a lavagem das mãos com água e sabão, desinfecção com álcool-gel, uso de máscaras faciais e cumprir com o distanciamento social para que a situação volte à normalidade”, disse.

Tempo

Multimédia