Cultura

Destacado talento artístico do grande mestre do hungo

O Governo Provincial de Luanda destacou as qualidades do músico Miguel Adão Banga, também conhecido por Mestre Kamosso, carismático e exímio tocador de hungo, falecido na noite do último sábado e que foi a enterrar na quarta-feira, na sua terra natal, Icolo e Bengo.

Hungo sempre acompanhou Kamosso
Fotografia: Edições Novembro

Numa mensagem de condolências, assinada pela governador Francisco Higino Lopes Carneiro, enviada à imprensa, o GPL destaca que a matriz cultural do quotidiano da população da região de Icolo e Bengo foi desta forma celebrizada, pelo carismático Mestre Kamosso e tocador de hungo. Salienta ainda que o mesmo foi um símbolo da cultura nacional, que bem soube representar  o país no estrangeiro.
O documento refere que o seu desaparecimento físico deixa um vazio no xadrez da cultura nacional pois, apesar do seu legado ter sido herdado por grupos de jovens, ainda lhes faltará, certamente, a mestria sábia de um excelente executante.
Na nota, Higino Carneiro, refere que, em nome do Governo Provincial  de Luanda, dos munícipes da província e do seu pessoal, endereça à família enlutada e à classe artística angolana as mais sentidas condolências. Uma multidão acompanhou na quarta-feira, no município de Icolo e Bengo, o funeral de Miguel Adão Banga, Mestre Kamosso, que faleceu aos 90 anos , por doença.
A sua arte influenciou diferentes gerações, contribuindo para o surgimento de grupos folclóricos como Jovens do Hungo, Idimakaji, Semba Muxima e Ilundos.

Tempo

Multimédia