Cultura

Dia-a-dia dos refugiados é retratado no Memorial

Mário Cohen

Um conjunto de mais de 30 fotografias que retratam o quotidiano dos refugiados acolhidos em Angola vai estar patente ao público de 21 deste mês a 20 de Julho, no Memorial Dr. António Agostinho Neto (MAAN), em Luanda.

Numa iniciativa do Go-verno de Angola, em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Re-fugiados (ACNUR), com o objectivo de celebrar o Dia Mundial dos Refugiados, que se assinala no próximo dia 20, a exposição fotográfica da autoria do belga Colin Delfosse e do inglês Griles Duley é inaugurada na próxima quinta-feira.
Margarida Loureiro, responsável pela área de Relações Externas do ACNUR, disse ontem ao Jornal de Angola que 77 por cento dos refugiados em Angola são mulheres e crianças. “Angola é a nação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) que mais refugiados acolhe”, disse Margarida Loureiro. A exposição retrata o dia-a-dia dos refugiados e a assistência que estes têm recebido, razão pela qual o principal objectivo da mostra é sensibilizar a sociedade sobre a situação actual dos refugiados em Angola e no Mundo.
Colin Delfosse é um fotógrafo belga que seguiu a carreira do fotojornalismo. Ele tem fotografado na China, Cazaquistão, Iraque e Curdistão. Actualmente, o seu principal interesse é a República Democrática do Congo. O artista trabalha sob a ideia de captar o espírito individual e sempre presente da nação, em pequenas e simples ocorrências.
Nascido a 15 de Setembro de 1971, em Londres, capital do Reino Unido, Giles Duley é um fotógrafo de retratos e documentários. Ele é mais conhecido pelo seu trabalho sobre o impacto de um longo período de guerra.

Tempo

Multimédia