Cultura

Dinheiro para os grupos está garantido no Bengo

Alfredo Ferreira | Bengo Domingos Calucipa e Albino Hitotonanye | Ondjiva

Os grupos carnavalescos da província do Bengo começaram a receber, desde a sema­na passada, os apoios financei­ros prometidos pelo Estado, no valor global de 1. 870.000 kwanzas.

Os grupos no Bengo dizem ter prontas as canções e as danças para a competição do Entrudo
Fotografia: Edmundo Eucílio | Bengo | Edições Novembro


Segundo a chefe da Secção de Arquivo e Centro de Documentação da Cultura, Guilhermina Catole, 1.200.000  kwanzas foram destinados aos grupos dos municípios Pango Aluquém, Bula Atumba, Nambuangongo, Ambriz e Dembos, em parcelas de 240 mil kwanzas.
Dande recebeu 670 mil kwanzas, dos quais 350 mil destinados aos grupos de adultos, 200 mil aos infantis e 120 mil aos blocos de animação.
Nesta edição, vão desfilar no acto provincial 14 grupos, sendo nove do Dande, dos quais cinco adultos e quatro infantis, e Pango Aluquém, BulaAtumba, Nambuangongo, Ambriz e Dembos vão fazer-se representar com um grupo, respectivamente.
Ao contrário dos 22 grupos que deviam disputar o Entru­do, os municípios apenas vão ser representados por cinco de adultos. Dos 12 previstos para o Dande, só vão participar nove, sendo cinco adultos e quatro infantis.

Grupos empenhados
Os grupos que vão participar no Entrudo de 2018 estão empenhados em conquistar os lugares cimeiros.
O presidente do Maringa do Caboxa, António Gançalo, disse que a coreografia foi preparada para ser a melhor da competição. Nos ensaios, os foliões disseram ao Jornal de Angola que preparam uma boa apresentação desde a canção à alegoria. “Neste momento, a classe infantil e de adultos estão a realizar os ensaios para que possam apresentar com rigor tudo aquilo que foi esquematizado, sendo o estilo de dança a maringa”, disse o presidente.
O secretário do grupo carnavalesco Ngola Mbande da Açucareira, Adão Domingos Sebastião, disse que as condições estão criadas e que a base fundamental dos grupos é o ensaio para alcançar os primeiros lugares.
Nesta edição, o grupo vai contar com 350 elementos, 200 adultos e 150 infantis. Tendo como objectivo a vitória, Adão Domingos Sebastião disse que a agremiação prepara-se desde Julho, sem sobressaltos.
O rei da corte do grupo Rainha Njinga Mande da Mifuna, Rodrigues Hebo, disse que o grupo está pronto quase a 90 por cento, principalmente em indumentária, coreografia e canção. Os ensaios começaram em Agosto.
Rodrigues Hebo disse que, apesar das contrariedades do passado, o grupo está de pé e preparado para mostrar um excelente trabalho. Os apoios financeiros antecipados têm sido raros, mas mesmo assim o grupo está preparado para o Entrudo.
O grupo tem 250 integrantes, dos quais 150 adultos e 200 infantis, contrariamente à exigência de quinhentos membros em cada grupo. O presidente do grupo carnavalesco União Jovem Independente do Kingungo, Ma­-
nuel Van-Dúnem, disse que o grupo está a preparar-se na medida do possível para de­fender o título conquistado na edição anterior.
Ao contrário da última edição, os ensaios começaram com atraso, devido à entrega tardia dos apoios financeiros, mas garantiu a qualidade das danças e alegoria. O grupo vai exibir a dança semba, com 200 integrantes na classe de adultos e 150 infantis.

Desfilam no Cunene
Um total de 58 grupos carnavalescos das classes de adultos e infantis estão inscritos para participarem nos desfiles municipais e provincial da edição 2018 do Carnaval, na província do Cunene.
Dos seis municípios que compõem a província, o Cuvelai, com 17 grupos, apresenta-se como a circunscrição com o maior número de conjuntos inscritos, nove dos quais da classe infantil e oito de adultos, seguindo-se os municípios de Cuanhama, com dez grupos, e Ombadja, com sete conjuntos.
O chefe do departamento de Acção Cultural da Direcção Provincial da Cultura, João Nuenga, disse que a edição 2018 do Carnaval na província do Cunene começa com os desfiles municipais  nos  dias 9 e 10 de Fevereiro, enquanto o desfile provincial realiza-se no dia 13.
João Nuenga assegurou que não obstante o número já inscrito, o processo de inscrições continua aberto para dar a oportunidade de mais grupos participarem este ano no Cu­nene na maior manifestação cultural nacional.

Tempo

Multimédia