Cultura

Disciplina de gravura é a grande novidade

Mário Cohen |

A inclusão da disciplina de gravura é a grande novidade da XIV edição do Prémio ENSA Arte, cujas inscrições foram abertas ontem, em Luanda, na sede da instituição, pelo comissário Miguel Gonçalves.

Miguel Gonçalves comissário do prémio apresentou ontem a grande novidade do Ensa Arte
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

Para esta edição destacam-se os grandes prémios de Pintura e Escultura, bem como o galardão da juventude nas duas disciplinas artísticas e o prémio Alliance Française de Luanda.
O comissário do prémio disse que os concorrentes, que têm a data de 12 de Janeiro como limite para fazerem a entrega das obras, além do edifício sede da ENSA, podem também fazer as inscrições em todas as agências da seguradora e na sede da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP),  na rua Rainha Jinga, na Baixa de Luanda.
Quanto aos requisitos exigidos para concorrer ao prémio, Miguel Gonçalves disse que os interessados devem ser artistas nacionais ou  estrangeiros residentes no país.
Cada obra concorrentes ao prémio ENSA Arte vai estar coberta por uma apólice de seguro da empresa organizadora do concurso de artes plásticas, no valor de sessenta mil kwanzas.
O seguro das obras concorrentes entra em vigência na data de entrega das peças e termina na data-limite de levantamento da obra ou seja com a devolução da peça.O júri é constituído por dois artistas plásticos, um historiador ou crítico de arte internacional e um  representante da ENSA, da Alliance Française de Luanda e um convidado da área das artes plásticas, cujos nomes não foram avançados.
Os vencedores do grande Prémio de Pintura e de Escultura vão receber o vlaor de 1.500.000 kwanzas e o segundo classificado 1.000.000 de kwanzas.
Para o prémio Juventude, o ENSA Arte atribui aos primeiros classificados na categoria de Pintura e Escultura 500.000 kwanzas e um kit de material de pintura, escultura e gravura. O vencedor do prémio Alliance Française de Luanda vai ter direito a frequentar uma residência artística em França, num período de 30 dias.
Para o prémio Especial de Gravura, categoria que se vai estrear no ENSA Arte, o vencedor recebe 500.000 kwanzas.  Aos  vencedores das menções honrosas são atribuídos kits de material de pintura, escultura e gravura.
Para o chefe do departamento de marketing da ENSA, João Pinnock, o  objectivo do concurso não são os prémios mas a promoção das peças de artes, assim como dos autores das obras, que vejam assim as suas imagens projectadas no mercado nacional.

Historial do prémio
Desde que foi lançada e realizada a primeira edição, fruto de uma iniciativa dos artistas Viteiz, Henrique Abranches. António Ole, Telmo Vaz Pereira, Augusto Ferreira, Jorge Gumbe e José Zan Andrade, em 1991, o prémio ENSA Arte tem assumido um protagonismo que ultrapassou as   fronteiras da arte nacional como, por exemplo, aconteceu com a exposição do seu acervo na 55.ª Bienal de Veneza, em 2013, onde o pavilhão de Angola conquistou o Leão de Ouro, ou ainda a exposição no Museu Luigi Pigorini, em Roma,  em 2014.
Assim, o ENSA Arte é uma forte aposta da política de responsabilidade social da ENSA Seguros de Angola, numa  promoção da cultura angolana, principalmente dasas artes plásticas.
A XIII edição do prémio, lançada em 2015 e realizada em 2016, foi fortemente marcada pela celebração dos 40 anos da Independência Nacional. Na ocasião, foram introduzidas algumas inovações, tanto no regulamento como na organização, como a presença do crítico internacional de artes Timothée Chaillou, que veio a confirmar a dimensão internacional do prémio.
A XIV edição do prémio coincide com a comemoração dos 40 anos da fundação da ENSA Seguros de Angola.

Tempo

Multimédia