Cultura

Diversidade de ritmos ecoam em Luanda

Roque Silva

O Palácio de Ferro é, hoje, às 19h30, palco de um espectáculo de dança e música de várias regiões do país e que integram a região do Reino do Kongo, inserido no projecto “Kuimba Ni Kukina” (Cantar e Dançar) numa iniciativa da produtora Dumay Missete.

Grupo Kieto Uva da província de Malanje é um dos participantes
Fotografia: Edições Novembro

O concerto tem a duração de quatro horas e tem por finalidade projectar a música e os agentes da música ancestral do Cuanza Sul e Norte e de Malanje.
Animado pelos grupos Dilangues do Ambaca, do Cuanza Norte, Kieto Uva, de Malanje, e Kumby Ly Xya, do Cuanza Sul, o concerto é realizado como estratégia de continuidade do Festival de Música Ancestral Bantu (MUANBA 2017), inserido na III Trienal de Luanda sob a égide da Fundação Sindika Dokolo e coordenação de Jorge Mulumba.
O grupo Kumby Ly Xya abre as cortinas com uma variedade rítmica que abran-ge os estilos xirimina, kixindica, kingôxa e kiango zuza, nos quais se baseiam os re-pertórios dos álbuns “Viva a Paz”, editado em 2008, e “Xinga Wanga” (Inveja e Feitiço), em 2001. Segue-se o Kieto Uva, em cujas canções se baseiam as sátiras deixadas pelos ancestrais das terras da Palanca Negra e aspectos ligados ao quotidiano local.
Os Dilangues do Ambaca encerram o espectáculo com uma performance idêntica a realizada o ano transacto no MUAMBA, iniciativa que reuniu nove grupos ancestrais, entre os quais quatro propostas de fusões e duas de rebita.
O repertório dos originários do município de Camabatela é diversificado, pois neles constam ritmos como o kassanda, o kaienguele e a katutula, com os quais foram pro-
duzidos os temas de maior referência. “Venâncio”, “Ho-menagem ao Defunto Ca-cusso” e “Mwembu Dieto” são as canções com os quais o grupo conquistou os ouvintes de vários programas radiofónicos e que integram os álbuns “Kassanje Kanzenza” (2003), “Ndalatandu Cidade Jardim” (2009), “Mwembu Dieto” (2012) e “Homenagem ao defunto Cacusso” (2015).

Tempo

Multimédia