Cultura

Diversidade rítmica em festival de rock

Sampaio Júnior | Benguela

Promover a diversidade do estilo musical rock com a apresentação de renomadas bandas nacionais e internacionais é o principal objectivo da 5.ª edição do Rock no Rio Catumbela que se realiza hoje e amanhã, inserido nos festejos do 6.º aniversário da ascensão da vila à categoria de município, ontem comemorado.

Artista Rish sensação da música rock do Quénia canta no festival do município da Catumbela
Fotografia: Edições Novembro

Esta edição inscrita no circuito dos festivais de música de qualidade na província de Benguela, vai ser animada, entre outras, pela banda M’vula, laureada com o prémio AFRIMA, na categoria de melhor grupo de rock do continente africano, e os Black Soul, primeiros vencedores da categoria Rock do Angola Music Awards (AMA).
Segundo Carlos Bessa, da Cube Records, organizadora do evento, além dos músicos nacionais o festival vai contar com a participação de duas bandas internacionais, nomeadamente Sistas of Metal, da África do Sul, exclusivamente feminina, e a sensação da música rock do Quénia, Rish, residente em Nairobi.
Rish entrou na cena musical no início de 2015 com o single “The Hate Song”, que escreveu há mais de 14 anos. Ele gravou na Andromeda com o produtor Nick Wathi, que também é membro da famosa banda de rock ParkingLotGrass (PLG).
O festival realiza-se anualmente na margem direita do Rio Catumbela, em parceria com a empresa cervejeira Soba Catumbela. Nesta edição, o mestre de cerimónia é Luís Fernandes, realizador e apresentador há duas décadas do programa de rádio Volume X,  Yara Pais, o radialista, actor e músico António Fernandes e o actor benguelense Ali Patrick.
Segundo a administradora da Catumbela, Alice Filomena Pascoal, para celebrar o 6.º aniversário do município estão ainda programadas actividades recreativas, culturais e religiosas, sendo o festival de música rock  a grande atracção das festividades, com impacto turístico, económico e cultural, prestigiado pela presença de visitantes nacionais e estrangeiros.
Alice Filomena Pascoal  disse ser um momento festivo com duas vertentes, sendo a primeira a promoção da educação ambiental junto da população com o projecto Eco Cuca, com acções de recolha de resíduos sólidos no recinto do festival, e a segunda na área da prevenção do alcoolismo, em parceria com o Centro de Reabilitação e Tratamento do Alcoolismo em Angola.
A entrada é livre, sendo que apenas os ingressos que dão acesso à área reservada custam cinco mil kwanzas.

Espírito solidário
Integrado numa festa dedicada à população de Benguela, o Rock no Rio Catumbela revela também uma vertente socialmente responsável, que caracteriza o posicionamento dos seus organizadores e da Soba Catumbela, e o seu compromisso no desenvolvimento da comunidade local.
Para tal, a empresa estabeleceu uma parceria com a ACPA, uma associação que trabalha na área da prevenção ao alcoolismo em Angola e que vai realizar uma acção de angariação de fundos para a construção do Centro de Reabilitação e Tratamento do Alcoolismo em Angola (CRTAA), para além de actividades de promoção para um espírito de responsabilidade sócio-ambiental e de reciclagem junto da população.
A ACPA vai dispor de um espaço próprio no local da festa, onde irá desenvolver jogos de solidariedade, doações voluntárias e recolha de latas e copos - num espírito de promoção para a educação ambiental. Quatro tendas estarão espalhadas pelo recinto do festival, incluindo também a zona reservada, com diversos jogos e informações sobre a associação e para a angariação de fundos. Nos espaços de restauração serão colocadas caixas para a recolha de donativos voluntários, onde todos podem participar.

Tempo

Multimédia