Cultura

Domingas Monte quer maior preservação das fontes orais

Manuel Albano

A docente universitária Domingas Monte, que lançou terça-feira no mercado o livro “A Canção Kongo e Ovimbundu - Tradições e Identidades”, manifestou a necessidade de uma preservação e divulgação das fontes orais e imateriais.

Durante a apresentação do livro, no Memorial António Agostinho Neto, em Luanda, Domingas Monte fez saber que a obra resulta da tese de mestrado defendida em 2014, visando mostrar a importância das canções na identidade cultural dos povos e manter viva a herança cultural.
O ensaio, explicou, é um contributo para enriquecer o acervo nacional, fundamentalmente sobre questões ligadas à contextualização das culturas bakongo e ovimbundu. “É um trabalho que pode servir de fonte de pesquisa para os estudantes e todos os interessados em obter mais conhecimentos sobre os povos angolanos.” Na ocasião, António Fonseca, director do Memorial António Agostinho Neto, que fez a apresentação do livro, disse ser importante que os docentes e intelectuais angolanos cultivem o hábito de publicar obras para permitir aumentar o acervo literário do país.
Com 137 páginas, o livro foi editado pelo Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INICC), do Ministério da Cultura, e teve uma tiragem de mil exemplares. A cerimónia de lançamento enquadrou-se nas actividades comemorativas do 23 de Abril, Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, organizadas pelo Ministério da Cultura.
Domingas Monte nasceu em 1982, na província do Uíge, e é licenciada em Línguas e Literaturas Africanas, pela Faculdade de Letras e Ciências Sociais, da Universidade Agostinho Neto.

Tempo

Multimédia