Dramas dominam Festival de Teatro da Paz

Roque Silva |
3 de Abril, 2015

Fotografia: Kindala Manuel |

A companhia de teatro Efetikilo, do Huambo, apresenta hoje, às 18h00, na Liga Africana, em Luanda, o binólogo “Injusta Morte”, no segundo dia da quinta edição do Festival de Teatro da Paz (FESTEAPAZ).

O espectáculo, que marca a primeira presença do grupo em festivais em Luanda, em 12 anos de actividade, conta, em 45 minutos, os problemas enfrentados por um casal de jovens amigos apaixonados.
No drama, disse o director do grupo, ambos não têm a coragem de exprimir o que sentem e quando acontece já é tarde. Alexandre Canguenha informou que o momento mais alto da peça acontece quando um deles morre “inesperadamente”.
O Efetikilo tem presenças regulares em festivais de teatro em Benguela, Sumbe e no Cuito. Tem participado em diversas actividades de teatro e trocas de experiência em Luanda.

Monólogo “Confissões”

A companhia Dadaísmo exibe também hoje, às 19h00, o monólogo “Confissões”, uma adaptação do livro homónimo do escritor brasileiro Procópio Pinheiro. A peça narra, em uma hora e 15 minutos, os diversos problemas sociais da capital e as suas causas, numa mistura de humor, drama e tragédia.
O espectáculo, que analisa ainda a infidelidade, o desemprego e a demência, conta a vida de um jovem disposto a obter sucesso a qualquer custo. Porém, vê o azar como uma rotina diária na sua vida, porque tudo o que tenta fazer para alcançar determinados objectivos acaba mal.
O jovem começa a ficar mais frustrado quando começa a enfrentar problemas no lar. O espectáculo fala ainda das dificuldades e as incertezas que os jovens encaram para poder atingir o sucesso. O festival que termina no dia 12, fica marcado, amanhã, com a exibição dos grupos Oásis e o Enigma Teatro, com os espectáculos “O Cafezal” e “A grande Questão”, respectivamente.
O grupo Ngola, de Benguela, e o Diassonama exibem, domingo, as peças “Lágrimas de Escravatura” e “O marido da tia”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA