Dreamworks à beira de falir


28 de Janeiro, 2015

Fotografia: Divulgação |

A Dreamworks Animation despediu 500 trabalhadores, mais de um quinto do total, e anunciou a produção de um filme a menos por ano, como parte de uma grande reestruturação após uma série de fracassos de bilheteira.

As acções do estúdio de Hollywood subiram 6 por cento para 22,63 dólares, depois do encerramento ontem dos mercados.
A Dreamworks, que manteve por duas vezes no ano passado conversações infrutíferas para a sua venda, anunciou que tenciona produzir duas longas-metragens por ano, em vez das habituais três, e fechar o estúdio do norte da Califórnia.
“Os esforços para fazer três filmes todos os anos eram muito ambiciosos e levaram a um desempenho inconsistente”, disse o presidente do Conselho da Administração da empresa, Jeffrey Katzenberg.
A produtora das séries “Shrek” e “Kung Fu Panda” adiantou que teve perdas em dois dos últimos quatro trimestres por filmes como “A Origem dos Guardiões” terem tido assistências aquém do esperado. “Mesmo com uma actividade menor, se tudo correr de acordo com as expectativas, devemos registar rentabilidade significativa”, disse a analista Marla Backer, da Research Associates LLC.
A Dreamworks tem enfrentado uma concorrência crescente nos filmes infantis, já que outros estúdios conquistaram o sucesso com produções, como a franquia “Gru - O mal disposto”, da Universal Pictures, e “Uma Aventura Lego”, da Warner Bros. Três dos seis filmes que a Dreamworks tenciona colocar no mercado entre 2016 e 2018 são sequências, com menos custos de propaganda e praticamente garantem boa venda de bilhetes.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA