Cultura

Edição de livros pode ganhar nova dinâmica

Manuel Albano

A comissão de acompanhamento e revitalização da Associação dos Editores e Livreiros de Angola (AELA) tenciona apresentar, em dois meses, os primeiros resultados do encontro sobre “A edição, o livro e os hábitos de leitura”, que se realizou na segunda-feira, na  Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde, em Luanda.

Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A informação foi prestada ao Jornal de Angola, pelo director-geral adjunto do Instituto Nacional das Indústrias Culturais e Criativas (INIC) que garantiu estarem criadas as condições para dar novo dinamismo à AELA, que se encontra ineficiente.
Michel Kanianga disse  que a comissão  tem a responsabilidade de efectuar contactos com os antigos membros, distribuir e analisar os estatutos, em função do contexto actual e convocar reuniões que doravante vão ser realizadas nas instalações do INIC.
O responsável do INIC disse que face ao novo contexto em que o país se encontra, a comissão de acompanhamento vai exigir da AELA outra dinâmica, para ajudar a encontrar soluções e alternativas para incentivar os cidadãos aos hábitos de leitura.
Michel Kanianga garantiu que os editores e livreiros estão unidos, razão pela qual estão a trabalhar para encontrarem as melhores soluções sobre a importância do livro, no processo de valorização e elevação cultural da população.
Um dos objectivos da Associação, adiantou, é identificar os problemas existentes em termos de questões organizativas que envolvem o livro e as demais pu-blicações, ajustar às medidas determinadas pelo Executivo, propor outras que se justifiquem necessárias e complementares.
Durante o encontro foram analisados, dentre outros aspectos, a realização de encontros regulares entre representantes de editores, livreiros e outros parceiros nacionais e  entidades governamentais, encarregues de tratar do assunto.

Tempo

Multimédia