Cultura

Eleições na UNAC-SA adiadas “sine die”

António Bequengue

As eleições à presidência dos novos corpos directivos da União Nacional dos Artistas e Compositores - Sociedade de Autores (UNAC-Sa), prevista para amanhã, foram adiadas “sine die”, por  decisão do Tribunal Provincial de Luanda, confirmou ontem ao Jornal de Angola, o coordenador da Comissão Nacional Eleitoral.

Fotografia: DR


António de Oliveira “Delon” disse que a decisão do Tribunal de Luanda surge na sequência da providência cautelar interposta pela lista B, liderada por Belmiro Carlos, com carácter suspensivo do acto eleitoral devido a supostas irregularidades. “Recebemos a nota do Ministério Público, na qual o despacho do procurador aconselha-nos a adiar as eleições, para que os integrantes da lista B possam argumentar os fundamentos da providência cautelar que remeteram ao Tribunal de Luanda”, disse Delon.
O coordenador da Comissão Nacional sublinhou que segundo o Tribunal de Luan-da as eleições poderiam ser realizadas na data prevista, sob pena de serem anuladas caso se provasse as supostas irregularidades no processo apresentadas pela lista de Belmiro Carlos. “Por essa razão, a Comissão Nacional Eleitoral, após um encontro com o advogado, decidiu adiar sine die as eleições na UNAC-SA”.
De acordo com  uma nota , a lista B faz saber que “interpôs a providência cautelar junto do Tribunal da Província de Luanda por reunir provas bastantes que atestam que o processo não está a decorrer com a lisura, transparência e a imparcialidade requeridas, situação que ficou por demais evidente com a confusa divulgação e rectificação dos cadernos eleitorais das províncias de Cabinda, Malanje, Benguela e Huambo e com a recusa da vistoria conjunta aos processos físicos dos artistas constantes no caderno eleitoral de Luanda, que curiosa e estranhamente é a única província declarada apta no seu todo, pela Comissão Eleitoral Nacional.”

Tempo

Multimédia