Cultura

Embaixador Brito Sozinho convidado de honra da Trienal

O nacionalista e embaixador Brito António Sozinho, que já foi diplomata na Nigéria, Tanzânia, Guiné-Bissau, Suécia e Moçambique, onde está desde Novembro de 2014, pertenceu ao conjunto “Kimbambas do ritmo”e foi o convidado de honra da III Trienal de Luanda para assistir o concerto de homenagem,

Diplomata recorda as canções políticas
Fotografia: Edições Novembro

onde representou, de forma simbólica, os elementos do Conjunto Nzaji. No fim do concerto, Brito António Sozinho falou da história da canção política na época da guerrilha e dos seus companheiros de luta, enquanto compositores, nos seguintes termos:
 “Vim para assistir esta homenagem, a convite da III Trienal de Luanda, o que desde já agradeço,  para recordar uma época de canções revolucionárias que nós fizemos na nossa juventude. No entanto,  quero esclarecer, desde já, que não fiz parte do conjunto Nzaji, ou seja, não estive presente na formação do grupo musical, em  Moscovo, à época da então União Soviética, mas pertenci, isto sim, aoagrupamento, “Kimbambas do Ritmo”, criado em Luanda, na sequência da fundação do Ginásio Futebol Club, que se desfez, depois de um curto período de existência, porque fomos, a maior parte, participar na luta de libertação nacional.
 Em relação à homenagem, qjuero dizer que foi bom recordar alguns camaradas que foram os grandes compositores de algumas letras que foram tocadas aqui, tal como o Presidente José Eduardo dos Santos e o nosso amigo, já falecido, Pedro de Castro Van-Dúnem, Loy, que foram os mais proeminentes compositores do grupo. Seria injusto não destacar ainda os nomes do falecido Paulo Júnior e da Jovita Minervina Nunes.
O conjunto Nzaji renasceu aqui com esta homenagem, tive a oportunidade de  recordar canções antigas  e vieram-me lágrimas aos olhos, porque o que aconteceu aqui diz-me muita coisa. A primeira canção “Etu tuá anangola” que foi interpretada pelo grupo, é de minha autoria fiz no Congo Leopoldville, actual Kinsaha. Esta homenagem foi boa, excelente, não contava.
Gostei da interpretação deste grupo, porque fez-me reviver momentos memoráveis”. Brito António Sozinho será convidado na série “Dialogos Culturais”, espaço de entrevistas da Trienal de Luanda para televisão e arquivos,  amanhã às 15h:00, no Palácio de Ferro, onde vai falar da sua trajectória política e cultural. 

Tempo

Multimédia