Cultura

Escavações arqueológicas retomam no próximo ano

Arqueólogos nacionais e estrangeiros retomam, em 2019, as escavações no centro histórico de Mbanza Kongo, província do Zaire, para a segunda fase da cidade classificada Património Mundial, pela UNESCO, em 2017.

Fotografia: DR

O anúncio foi feito pelo director do gabinete provincial da Cultura, Juventude e Desportos, Biluka Nsakala Nsenga, também vice-presidente do Comité de Gestão Participativa do sítio, criado por decreto presidencial nº 178/15, de 28 de Setembro.
Informou que, apesar da inscrição, o plano de acção recomenda a continuidade dos estudos arqueológicos nos locais onde já decorreram as escavações e em outras áreas fora da zona classificada.
A área classificada engloba ruínas e espaços que se estendem por seis corredores e que abrangem uma colina de 570. A zona foi alvo de escavações arqueológicas no período entre 2011 e 2014, no âmbito deste mesmo projecto de inscrição baptizado por “Mbanza Kongo, Cidade a Desenterrar para Preservar”.
Biluka Nsakala Nsenga explicou que, neste momento, o Ministério da Cultura es-tabelece contactos com especialistas de Portugal, Camarões, França, entre outros peritos que integraram a equipa que participou nas três primeiras fases dos estudos arqueológicos.
“A data do início da nova fase das escavações vai depender da agenda dos especialistas estrangeiros”, disse o director.
Desde a sua elevação a Património Mundial, a cidade de Mbanza Kongo já acolheu mais de 15 mil turistas, entre nacionais e estrangeiros.

Tempo

Multimédia