Cultura

Escritor apela aos jovens a escreverem

O escritor John Bella, apelou ontem, em Malanje, aos jovens que  despontam no mundo da literatura  a investigarem e escreverem mais sobre a História e cultura de Angola, com vista a se perpetuar os hábitos e costumes, assim como enriquecer o mosaico cultural do país.

Autor anuncia o lançamento do último livro da trilogia
Fotografia: Kindala Manuel|Edições Novembro


Em entrevista à Angop, o escritor mostrou-se preocupado com a pouca inclinação e dedicação dos jovens escritores em relação à História nacional, aspecto que disse ser urgente inverter, sob pena de as gerações vindouras desconhecerem as origens e os principais intervenientes da historiografia angolana.
“A nova geração de escritores deve ir ao encontro dos mais velhos para beber uma série de factos históricos e culturais da nossa História”, frisou.
 John Bella anunciou o lançamento, este ano, do terceiro livro que marca a trilogia sobre a história da Rainha Njinga Mbande, tendo como bases de investigação Malanje e Cuanza-Norte, sendo nesta última província onde visitou a fortaleza de Massangano, local onde foi afogada a irmã da soberana, na Ilha de Dala Ngonga, situada no rio Kwanza,  onde a Rainha teve de se desfazer das suas jóias.
Em Malanje, segundo disse, colheu informações de guias turísticos e do actual soberano do Reino dos Ndongos, Rei Cabombo, descendente da Rainha Njinga, sobre determinados aspectos que constam da História do país.
John Bella, nome literário de Jorge Marques Bela, nasceu e cresceu no antigo musseque Mota, no bairro Sambizanga, em Luanda.
Sociólogo, membro da União dos Escritores Angolanos e secretário-geral-adjunto da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), publicou já os romances "Os Primeiros Passos da Rainha Njinga” e “O Regresso da Rainha Njinga”. John Bella foi  distinguido com o Diploma de “Personalidade de Importância Cultural”, em Julho de 2014, pela União Bhaiana de Escritores, em cerimónia decorrida na “Casa de Cultura de Angola”, na Bahia.

Tempo

Multimédia