Cultura

Escritor apresenta novela

O escritor Jacques Arlindo dos Santos lança, hoje, às 18h30, no espaço Verde, em Luanda,  a novela “Subitamente no Cacimbo”. 

Jacques dos Santos lança “Subitamente no Cacimbo”
Fotografia: José Soares. | Edições Novembro

O livro vai ser apresentado pelo jornalista Nok No-gueira. “Subitamente Cacimbo” tem formato A5, e junta 166 páginas.
Carlos Ferreira, disse que “Subitamente no Cacimbo” “representa a recriação literária de uma realidade brutal, doentia, pavorosa”.
“Que foi (e ainda é) vivida por todos nós e recusada por muitos”, declarou.
Jacques dos Santos, prosseguiu, não faz mais do que cumprir o legado que lhe  coube em sorte, mantendo-se fiel aos que, há anos e anos,  deram o sinal de partida.
Mas para isso, realçou nos tempos que correm, “é preciso coragem cívica, patriotismo, orgulho de angolano e intransigência moral.”
Carlos Ferreira disse que o livro “podia ser um diário, um álbum fotográfico, onde vêem passar os anos essenciais da vida que denuncia a trajectória do autor, e com lucidez, mestria, uma raiva e um sentimento de impotência misturados com uma esperança que, mesmo en-velhecendo a olhos vistos, nunca morre”.
Jacques dos Santos é autor de “101 Crónicas Deste e do Outro Tempo” e “Nguéri-hi? (Maka da Grande Família)”. Também publicou “Casseca-Cenas da Vida em Luanda” (1996), “ABC do Bê Ó” (1999), “Berta Ynari ou o Pretérito Imperfeito da Vida”, com o qual ganhou também o Grande Prémio Sonangol de Literatura, em 2000, e “Kasakas & Cardeais”, dois anos depois.
Jacques Arlindo dos Santos nasceu na aldeia de Dala Uso, no Libolo, província do Cuanza-Sul.  Foi Presidente da Associação Cultural e Re-creativa Chá de Caxinde, da qual é membro fundador, de 1989 a 2016.
O também, livreiro e membro da União dos Escritores Angolanos, da ADRA e da Associação de Documentação Tchiweka.
Em 2004, foi distinguido com o título de grande Oficial da Ordem do Rio Branco,  outorgada pela Embaixada do Brasil.

Tempo

Multimédia