Escritor Richard Flanagan vence o Man Booker Prize


17 de Outubro, 2014

Fotografia: AFP

Richard Flanagan foi distinguido por “The Narrow Road to the Deep North”, descrito como “um magnífico romance de amor e guerra”, que conta a história de prisioneiros de guerra na Birmânia.

Esta foi a primeira edição do Man Booker Prize em que foram consideradas obras de todos os escritores de língua inglesa, incluindo autores norte-americanos, mas o vencedor acabou por ser um australiano, pela terceira vez na história do Man Booker Prize.
O pai de Flanagan foi um dos prisioneiros de guerra detidos pelos japoneses e obrigados a trabalhar na construção do caminho de ferro entre a Tailândia e a Birmânia, durante a II Guerra Mundial. É esse o cenário do romance, que o escritor acabou no mesmo dia em que o pai morreu.
Flanagan, de 53 anos, recebeu o galardão e o cheque de 50 mil libras das mãos da Duquesa da Cornualha, Camilla Parker Bowles, em Guildhall, Londres. Segundo o presidente do júri, AC Grayling, o seu livro é “um magnífico romance de amor e guerra, escrito em prosa de extraordinária elegância e força, junta Este e Oeste, passado e presente, com uma história de culpa e heroísmo”.
O autor tem seis romances publicados e pelo menos um traduzido em português: “O Livro dos Peixes de Gould”. O Prémio Man Booker, também conhecido como Prémio Booker é um prémio literário criado em 1968, e um dos mais importantes atribuídos anualmente.
Apenas podem concorrer obras de romance e ficção redigidas em língua inglesa por autores vivos que sejam cidadãos de um país membro da Commonwealth, da República da Irlanda ou Zimbabwe. Porém, agora a organização decidiu incluir também autores de países de língua inglesa, incluindo os Estados Unidos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA