Cultura

Escritor vai ser sepultado quarta-feira no Benfica

Roque Silva

O escritor António Panguila falecido sábado, vítima de doença, vai ser sepultado amanhã, às 10h00, no Cemitério do Benfica, em Luanda, re-velou ao Jornal de Angola um dos seus primos.

Fotografia: DR

Carlos Torres disse, ontem, que o cortejo fúnebre parte da União dos Escritores Angolanos (UEA), local onde o corpo vai permanecer a partir das 7h30 e será prestada uma homenagem.
Informou que o velório é realizado hoje a noite, em sua residência, localizada no Zango 3.
António Panguila faleceu devido um ataque cardíaco no Hospital Josina Machel, para onde foi levado de emergência depois de ter recebido inicialmente os primeiros socorros na Clínica Vida “Cligest”, no Zango.
A irmã do escritor in-formou que dado o seu estado crítico, havia a necessidade de uma maior intervenção, pelo que os profissionais  daquela unidade hospitalar se negaram a prestar porque a filha que o acompanhava não dispunha de dinheiro suficiente para pagar um segundo tratamento. “A minha sobrinha já não tinha os 80 mil kwanzas exigidos para que o pai continuasse a ser assistido”, disse.
Lucinda Panguila revelou que a sobrinha implorou para que fosse disponibilizada uma ambulância no intuito de transferir o pai para o hospital Josina Machel, pois estava sem transporte próprio, algo que aconteceu depois de largas horas de discussão.
Já no hospital público, disse, o irmão e a sobrinha viveram outros dramas.
Lucinda Panguila explicou que o irmão estava inicialmente para ser assistido no chão por indisponibilidade de ca-mas, mas não veio a acontecer depois da filha se insurgir.
Acrescentou por outro lado que a atitude de revolta da filha de António Panguila frustrou uma aplicação mal feita de soro. “A minha sobrinha afirma que a agulha foi aplicada em local errado e que a enfermeira rapidamente alterou”, contou a irmã do escritor António Panguila ainda abalada com a sua morte que viria a acontecer às 16h00.

Tempo

Multimédia