Cultura

Escritores unem talento por causa humanitária

Mário Cohen

A 4ª edição do projecto “Poeira de Marte” acontece amanhã, às 18h30, no Camões - Centro Cultural Português, em Lu-anda, no intuito de lançar um alerta social, através da poesia, sobre os perigos do aquecimento global.

José Luís Mendonça apresenta também amanhã no Camões mais um trabalho literário
Fotografia: Paulino Damião| Edições Novembro

O projecto conta nesta edição com nomes de referência da poesia nacional, com destaque para José Luís Mendonça, Amélia da Lomba, Lopito Feijó, António Gonçalves, Cristóvão Neto e Conceição Cristóvão, os poetas residentes do recital. 

Numa iniciativa do escritor José Luís Mendonça, o projecto literário procurou sempre apostar forte no teor humanista e interplanetário, como forma de chamar a atenção para a importância da salvaguarda das espécies. “Em cada edição, um dos poetas residentes declama um poema dedicado ao ambiente e ao lugar que ocupamos no Universo ou Multiverso”, disse.
José Luís Mendonça adiantou ainda que nesta 4ª edição é feita uma homenagem à figura ímpar de Carlos Mar Bettencourt Faria, autodidacta genial, dotado de um enorme dinamismo, criador do Centro Espacial da Mulemba. “Este centro tinha por missão fazer estudos solares, nomeadamente fotografias diárias, contagens de manchas e recepção de ondas electromagnéticas. Fazia ainda toda a espécie de astro-fotografias e estudos de rádio-astronomia, bem como rastreios de satélites”, disse.
Em todo o continente africano, continuou, o Centro Es-pacial da Mulemba foi o único que registou e fotografou em aparelhagem apropriada os sinais emitidos pelo Sputnik russo. “Nesse centro, Bettencourt Faria deu largas à sua paixão pela exploração do espa-ço, pela rádio e pela astronomia, construindo aparelhos de detecção remota, telescópios e antenas”, contou José Luís Mendonça.
Para o mentor da iniciativa, numa época em que a NASA tinha necessidade de recorrer a uma rede de colaboradores espalhados pelo mundo, servindo de “ponte” entre o espaço e a sua sede, o Centro Espacial da Mulemba, em Angola, era o único observatório em África a fazer esse papel. “Bettencourt Faria chegou a gravar uma conversa que teve com o astronauta Neil Armstrong, na Lua.”
Bettencourt Faria, disse, foi assassinado em Luanda, no Centro Espacial da Mulemba, por isso, os poetas residentes do projecto “Poeira de Marte” decidiram fazer uma homenagem ao seu trabalho pioneiro e pelo sacrifício por uma causa universal e humanista.

Lançamento
O livro infantil “Lenda da Mãe África e do Filho que Vendeu o Coração”, do escritor José Luís Mendonça, é apresentado, novamente, ao público, amanhã, às 18h30, no Camões, em Luanda.
Dividido em 25 capítulos, o livro foi escrito durante dois anos e é destinado, de acordo com o autor, às crianças e adultos. O conto é focado na tradição oral e procura levar o leitor a uma viagem pela História do continente berço da Humanidade até aos dias de hoje.
O objectivo, conta o autor, é motivar os filhos de África a resgatarem o seu “coração” vendido aos espíritos da ga-nância. O livro é apresentado amanhã, no Camões, pelo docente universitário Joaquim Martinho.
José Luís Mendonça nasceu em Angola, em Novembro de 1955, no Golungo Alto, Cuanza-Norte. Licenciado em Direito, jornalista e poeta é o director do Jornal Cultura. Tem diversos livros publicados e já conquistou vários prémios literários.

Tempo

Multimédia