Cultura

Escritos de Manguxi foram focados na paz e liberdade

Venâncio Victor | Malanje

Os escritos de António Agostinho Neto sempre estiveram focados na necessidade da conquista da paz, liberdade e amor e tiveram influência no movimento literário a nível do mundo, disse na segunda-feira, em Malanje, Joaquim Vitorino António.

Fotografia: DR

Ao dissertar sobre o tema “A Influência de António Agostinho Neto, na literatura angolana”, que marcou o acto provincial das comemorações do Dia do Herói Nacional, o escritor e pesquisador disse que o mundo literário angolano deixou de ser o mesmo “desde que o Fundador da Nação começou a escrever e trouxe consigo a angolanidade”.
O escritor Joaquim Victorino considerou de inquestionável a influência cultural de António Agostinho Neto, cujos seus escritos inspiram e continuam a sobressair as novas gerações em todas as suas dimensões da vida dos angolanos e não só. Para Joaquim Victorino, Agostinho Neto traz para os jovens com os seus escritos uma intelectualidade racional e ritmos de importância e relevância que ultrapassa as fronteiras do país, considerando ainda de transcendente importância a dimensão histórico-cultural do Poeta Maior.
Os escritos de Neto, disse Joaquim Victorino, consolidaram o processo de construção de valores sociais positivos, com realce para o patriotismo, bem como redefiniu os paradigmas conceptuais teóricos e práticos da poesia angolana incorporando deste modo a angolanidade, o patriotismo, a melodia e comunicabilidade.
“Os feitos do Poeta Maior permitiram partilhar os seus ideais e convicções que determinaram o amadurecimento do movimento social, cultural, e político com os seus poemas intemporais pelo que se impõe estudos pormenorizados sobre outras qualidades e dimensões da sua vida como trajectória de vida que influencia o actual contexto cultural”, disse.

Tempo

Multimédia