Especialistas avaliam o património


20 de Novembro, 2015

Fotografia: Fernando Neto | Mbanza Congo

O actual estado do material arqueológico descoberto durante as escavações realizadas em 2013 e 2014, em Mbanza Congo  foi avaliado, ontem, por  especialistas nacionais e estrangeiros no âmbito da inscrição da cidade na lista do Património Mundial da UNESCO.

Nesta primeira fase, que durou oito dias, os especialistas realizaram o estudo de cerâmicas, pérolas, metais e outro material arqueológico, com a finalidade de se aferir a cronologia do sítio da cidade de Mbanza Congo.
A directora do Instituto Nacional do Património Cultural, Maria da Piedade, disse que o objectivo do estudo era descobrir  a composição química e tipologia do acervo arqueológico, sobretudo das pérolas e cerâmicas, com vista a definir a sua composição, data de fabricação ou da sua introdução na antiga capital do Reino do Congo.
Maria da Piedade explicou que durante as escavações foram descobertos dois tipos de cerâmica, a africana, de origem local, e a estrangeira, cujo estudo vai permitir descobrir as rotas comerciais que os antigos habitantes de Mbanza Congo utilizavam para a importação destes materiais para a região.
Sobre a cerâmica de fabricação local, Maria da Piedade disse datar do século XIV, precisando que para o seu estudo foi utilizada a técnica de imagens em 3D, que permite a produção de catálogos que depois vão fazer parte de uma exposição virtual. Maria da Piedade destacou  a importância de alguns cachimbos em cerâmica e pedras descobertos entre o material arqueológico. “O seu estudo leva à descoberta da data da introdução do tabaco no Reino do Congo ou em África.”
A directora do Instituto Nacional do Património Cultural garante que esta foi apenas uma missão preliminar, que teve início em Luanda, onde durante dois dias os especialistas desenvolveram trabalhos de secretaria, frisando que a actividade tem continuidade nos próximos tempos. Os dados a obter nestes estudos, acrescentou Maria da Piedade, vão ser depois introduzidos no “dossier” final de candidatura do centro histórico de Mbanza Congo à   inscrição na lista do património mundial.
A entrega do “dossier” final ao Comité do Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), com sede em Paris, está previsto para Janeiro de 2016.
A equipa de especialistas é constituída por responsáveis do Instituto Nacional do Património Cultural epor técnicos das universidades de Évora e Coimbra, Ghent (Bélgica) e de Yaoundé (Camarões).
O projecto para a inscrição da cidade de Mbanza Congo na lista do património mundial da UNESCO, denominado “Mbanza Congo-Cidade a Desenterrar para Preservar”, foi lançado em 2007 pelo Ministério da Cultura.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA