Cultura

Espectáculo “Recordação” com o famoso grupo SSP

Manuel Albano

Dois anos depois, o lendário grupo de rap SSP regressa aos palcos para realizar o espectáculo “Recordação”, de duas horas e meia, com início às 21h00, no dia 4 de Abril, na Baía de Luanda.

Canções intemporais vão ser recordadas durante duas horas pelo grupo e artistas convidados
Fotografia: Bombele Bernardo | Edições Novembro

O espectáculo serve para comemorar os 28 anos de existência do grupo e o Dia da Paz.
Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, Big Nelo, porta-voz do grupo, disse que a ideia é apenas interpretar temas conhecidos.
Sem revelar nomes, assegurou, que foram convidados seis cantores que vão apenas interpretar canções do SSP, além dos integrantes de um dos grupos mais famosos do país, embora não esteja no activo. Os preços da plateia geral custam mil kwanzas. As primeiras três mil pessoas que comprarem ingressos vão ter direito de mais um bilhete como oferta. Os lugares a frente do palco custam dois mil kwanzas, enquanto a área vip dez mil.
Descartou a hipótese de regresso definitivo do grupo, devido “os compromissos pessoais dos seus integrantes”, afirmou o autor da música “Karga”. Big Nelo adiantou existirem vários convites para a realização de espectáculos no mesmo formato, em países membros da CPLP - Comunidade de Países de Língua Portuguesa.
“Os custos de produção de um espectáculo dessa natureza são dispendiosos, e sem patrocinadores ficam mais difíceis.”
A intenção, disse, é realizar um a dois espectáculos por ano, fora de Luanda. “O grupo é bastante conhecido, pensamos não mais realizar na capital do país um evento do género. Todo apoio é bem-vindo. Queremos levar o espectáculo em outras partes do país”, apelou, por isso, a generosidade de mecenas.
Big Nelo disse que o espectáculo tem previsão de encerrar às 23h00. “Temos admiradores de várias gerações que nos têm solicitado para cantarmos apenas temas que de certa forma marcaram a infância deles.”
O espectáculo, o primeiro deste ano, é o quarto depois de o grupo ter sido desfeito há mais de uma década.
Embora tenha admitido existirem dificuldades nos ensaios, como recordar as letras de algumas canções, Big Nelo garantiu que os colegas estão motivados “por confiarem nos fãs que, certamente, vão ajudar a interpretar as músicas”.
O grupo decidiu voltar a actuar numa data marcante, neste caso o 4 de Abril, Dia da Paz, para a realização de “um espectáculo abrangente para diferentes gerações”, realçou Big Nelo, demonstrando bastante entusiasmo.

Surpresa na Baía

Big Nelo Reconheceu que a “performance” dos integrantes do grupo é incomparável a de outros tempos. “Não temos a mesma frescura física do antigamente, mas essas limitações não são factores inibidores para a exploração do palco e darmos outra dinâmica ao espectáculo”.
Big Nelo preferiu não revelar muitos pormenores, para não tirar a expectativa dos fãs. “Vamos manter segredo para que o espectáculo seja inesquecível.”
Big Nelo deu a conhecer que o espectáculo inclui acrobacias, danças sincronizadas, interacção com o público, e tornar uma festa à moda angolana.
O grupo, que reapareceu dia 6 de Maio, no Festival Sons do Atlântico, em 2017, pretende actuar na diáspora. Formado em Agosto de 1992, por Big Nelo, Paul G, Jeff Brown e Kudy, o grupo canta rap, além de outros géneros musicais, como jazz, soul, funk, salsa e raggae.
Quatro anos depois, o grupo lançou o primeiro CD intitulado “99 por cento de Amor”, fruto de um contrato firmado com a editora Vidisco, que permitiu a gravação do álbum, cujo som ficou caracterizado pela fusão de ritmos aliados ao rap. O SSP, que no final do Século XX influenciou o surgimento de outras formações musicais do género rap, em todo o país, transformou-se no primeiro grupo de rap angolano a lançar um CD, um marco importante na história do rap em Angola.
Com 11 faixas, o CD tem como destaque as músicas “SSP”, “Festa (Desbunda)”, “Olhos café”, “Te quiero”, “Miúda” , “Tell me baby” “Sei que ela”, “Paixão”, “Come back”, “Pitanga”, e “Amiga”, sendo sucessos no país e no exterior.
Depois de muito sucesso, volta à ribalta com a gravação do segundo disco, “Odisseia”, que levou o SSP a uma digressão internacional na África do Sul, Cabo Verde, Inglaterra, Portugal e Moçambique, países onde as vendas atingiram o disco de prata, além de Macau, São Tomé e Príncipe e Brasil.

Tempo

Multimédia