Espectáculo cria polémica


24 de Outubro, 2014

Fotografia: AFP

“Death of Klinghoffer”, do compositor John Adams, sobre o sequestro do navio Achille Lauro por guerrilheiros palestinos, exibida pela Metropolitan Opera de Nova Iorque, continua a causar controvérsia nos Estados Unidos.

A ópera, estreada num ambiente de grande celeuma, é acusada por alguns sectores de ser “anti-semita e glorificar o terrorismo”.
A Metropolitan Opera de Nova Iorque rejeitou as críticas e mantém as sessões previstas até 15 de Novembro, apesar dos protestos de manifestantes semíticos à entrada do edifício.
“A Metropolitan glorifica o terrorismo” e “vergonha” foram das palavras mais gritadas por cerca de 400 manifestantes.
“Death of Klinghoffer” é exibida 30 anos depois do sequestro em 1985 por guerrilheiros da Organização para a Libertação da Palestina do Achille Lauro e da morte de Leon Klinghoffer, judeu nova-iorquino que fazia um cruzeiro com a mulher.
Quando estreou em Bruxelas, apenas seis anos após o sequestro, a ópera não gerou polémica.
As filhas de Leon Klinghoffer, Lisa e Ilse também consideram a obra anti-semita.
A escritora Alice Goodman, autora do texto da ópera, disse ao “New York Times” que “quem assistir à peça sem preconceitos percebe que ela honra o destino do povo judeu”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA