Cultura

Estado do romance é assunto de debate

A actual situação do romance contemporâneo angolano e as eventuais influências na construção da sociedade moderna é o tema de uma palestra realizada hoje, a partir das 16h00, na Baía de Luanda, pelo docente Joaquim Martinho, no âmbito da 13ª edição da Feira do Livro e do Disco, que decorre até domingo, na capital.

Público tem participado de forma activa na iniciativa
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

A palestra, que tem como moderador o docente universitário José Dembo, abre portas para um debate sobre o futuro deste género literário e dos seus criadores, tendo em conta as tendências actuais do mercado.
Para hoje, o programa de actividades da feira, uma iniciativa da produtora Arte Viva, tem ainda reservado, a partir das 18h00, um concerto da cantora Ângela Ferrão, onde o público pode ouvir o melhor da discografia da autora de “Wanga”.
A feira, que foi aberta ao público segunda-feira, na Ilha de Luanda, conta com a participação de vários expositores, entre editoras e livrarias, e serve, como defendeu a ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, no acto de abertura, para promover a cultura do livro, incentivar o gosto e o hábito de leitura, assim como chamar atenção à importância da redução dos preços praticados, no âmbito do apoio à política do livro. A ministra pediu ainda aos organizadores para começarem a expandir mais a actividade a outras comunidades do país.
O vice-governador de Luanda, Manuel Dionísio da Fonseca, que esteve no acto de abertura, em representação do governador, Sérgio Luther Rescova Joaquim, considerou a feira um contributo nos desafios para o desenvolvimento da província.
Por sua vez, o organizador da actividade, Jomo Fortunato, disse que a intenção da Arte Viva é congregar o maior nú-mero de expositores, em função do espaço e “acabar com a ideia que em Luanda existem poucas livrarias e editoras”. Organizada este ano sobre a chancela do Governo da Província de Luanda, a feira, realizada sobre o lema “Luanda é leitura”, representa também uma oportunidade para se promover a música nacional.

Tempo

Multimédia