Estudantes mostram talento em exposição de arte

Victorino Joaquim |
25 de Setembro, 2015

Fotografia: Victorino Joaquim

A descoberta de jovens talentos nas artes plásticas foi o tema principal do projecto “Caderno Arte na Escola”, que terminou, quarta-feira, com uma exposição de 40 trabalhos de pintura dos estudantes da Instituto Médio Politécnico  Alda Lara.

A mostra, patente no Memorial António Agostinho Neto, é o resultado de seis meses de formação nas disciplinas de Artes Plásticas e desenho arquitectónico computadorizado, Auto CAD, ministrados por engenheiros e arquitectos.
O ministro da Educação, Pinda Simão, que inaugurou a mostra, considerou o projecto essencial, particularmente nesta fase de reconstrução do país em que os jovens são a base de todo o trabalho do Executivo. “Enquanto actividade cultural, este projecto desperta nos alunos a capacidade de apreciar o belo e é um espaço de socialização de conhecimentos, de técnicas e de promoção de valores para o exercício sistemático de cidadania, para a juventude angolana.”
O ministro adiantou  que todos os sectores da sociedade civil são chamados a darem o seu contributo nas tarefas diversificadas capazes de oferecer um ensino de qualidade e motivarem cada vez mais os alunos a se dedicarem aos estudos e obter resultados que justifiquem o investimento feito pelo Estado e suas famílias.
O director do Instituto Politécnico  Alda Lara disse no seu discurso de boas-vindas que o objectivo do projecto é explorar o melhor do talento artístico dos jovens, assim como os incentivar a continuarem com práticas que os ajudem a descobrirem o seu potencial. “Abraçámos o projecto tendo sempre em conta os jovens angolanos e a sua importância no processo de reconstrução do país”, destacou Manuel Pacavira. Para o arquitecto Walter Pataca, a exposição marca uma nova era na “vida” da classe estudantil e deve ser o mais abrangente possível, de forma a incluir as demais escolas do país.
A arquitecta Ângela Mingas, uma das convidadas a participar no projecto, considerou a arte como um património mundial da cultura e da identidade, que são valores universais e devem estar ao alcance de todos, em especial dos jovens. “O valor deste trabalho é ter dado provas de que a sistematização pode transformar os jovens em homem adultos.” 
A exposição, que mostra os diversos aspectos do quotidiano angolano na visão destes estudantes, enquadra-se nos festejos dos 40 anos da Independência Nacional e é uma iniciativa de Walter Pataca e contou com apoio do Gabinete Provincial e da Direcção Municipal de Educação e do Ministério da Cultura.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA