Etona pretende fortalecer a união

Manuel Albano
11 de Maio, 2017

Fotografia: Maria Augusta|Edições Novembro

Melhorar a condição social dos associados e reforçar os programas já existentes no sentido de tornar a União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) uma referência, a nível nacional e internacional, é o principal propósito da nova direcção da associação para os próximos quatro anos.

Reeleito ao cargo de secretário-geral da UNAP, no passado dia 28 de Abril, no pleito eleitoral, que contou com a participação de 42 membros, teve como adversários a pintora Fineza Teta, que obteve 16 votos, e o escultor Mpambukidi, com cinco votos, Etona promete neste mandato trabalhar fundamentalmente para o reforço da união da classe.
Aproximar os membros fundadores à antiga geração de artistas, de maneira a todos contribuírem com ideias produtivas para a melhoria dos programas de acção, bem como dedicar uma atenção especial às actividades desenvolvidas pelos membros da UNAP, nas outras províncias, são outros propósitos do seu programa de acção, sustentou o artista plástico.
Unir as ideias entre a nova e a antiga geração dos artistas plásticos, garantiu, vai permitir reforçar algumas estratégias, que fazem parte do programa de acção da Unap para o quadriénio 2017-2020 .
Em declarações, ao Jornal de Angola, o artista Etona disse que a UNAP perspectiva continuar a criar parcerias com instituições públicas e privadas, tanto no país como no estrangeiro.
Reforçar a parceria entre o Governo Provincial de Luanda, o Ministério da Cultura e embaixadas quer as angolanos no exterior, quer  as estrangeiros acreditadas em Angola, no sentido de apoiar a criação e promover as artes plásticas na juventude, é outro dos fundamentos do seu  programa de acção.
A implementação de uma nova dinâmica à criação artística nacional e dar mais visibilidade aos associados, garantiu o secretário-geral da instituição, é uma preocupação que deve ser vista com alguma seriedade, no sentido de continuar-se a procurar as melhores vias para a resolução dos problemas dos associados.

Maior inclusão
 
Incentivar a criatividade entre os criadores, com a realização de actividades que promovam o desenvolvimento das artes, em particular, em todo o território nacional vai ser também uma das apostas do elenco directivo comandado por Etona. Os prémios e concursos que ajudam a promover e a dar maior visibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelos criadores nacionais, disse, devem ser mais inclusivos, para permitir dar maior visibilidade em outras disciplinas artísticas dentro das artes plásticas.
O artista disse que a instituição está preocupada em contribuir para melhorar a imagem do país no estrangeiro, promovendo actividades que enalteçam os principais ganhos dos angolanos. “Tenho estado com alguma preocupação a assistir alguns dos nossos compatriotas a tentar apenas explorar nas suas exposições realizadas no estrangeiro os aspectos menos positivos da realidade angolana. É nesses aspectos que precisamos também de trabalhar com os associados no sentido de ajudarmos a promover as coisas positivas conquistadas ao longo desses anos de paz efectiva no país.”
O programa de acção, disse, pretende particularmente promover as artes plásticas e  melhorar as condições sociais dos associados, estendendo-se às restantes províncias, por reconhecer que as artes no país têm dado passos significativos na preservação da cultura de cada região.
 
Trabalho para todos
 

Melhorar as condições de trabalho dos seus associados, dinamizar os seus programas culturais, educativos e administrativos faz parte das principais apostas da associação, cujo programa visa essencialmente melhorar a postura dos seus membros: “precisamos de membros dispostos a contribuir para o engrandecimento das artes plásticas no país”, disse o secretário-geral da Unap.
A importância de criar mais espaços de reflexão sobre os temas ligados às artes plásticas e incluir novos talentos na instituição são outros projectos da UNAP para os próximos quatros anos.
O artista defende ainda a criação de políticas mais fortes, visando melhorar a situação financeira dos associados, difusão das artes, criação de uma visão de cidadania, promoção do bem-estar dos artistas e defesa em primeiro lugar dos interesses do país.

Brigada jovem
 
A UNAP, disse, vai continuar a apoiar e apostar nas acções que têm sido realizadas pela Brigada Jovem de Artes Plásticas (BJAP). “A brigada vai continuar a merecer o nosso acompanhamento, no sentido de dar maior visibilidade aos trabalhos dos associados.”
Actualmente, com filiais em todo o país e mais de 400 membros, a UNAP enfrenta problemas, em especial para a realização de muitos dos seus projectos, devido à falta de dinheiro.
A criação de parcerias com instituições públicas, privadas e representações diplomáticas angolanas no exterior fazem parte dos próximos desafios da UNAP, razão pela qual Etona disse que vão ser criadas ainda este ano as condições para a realização de cursos de formação para criadores nacionais no estrangeiro.
No quadro do seu programa de apoio aos esforços do Governo para o fortalecimento da cultura nacional, explicou, a UNAP vai realizar um concurso para uma bolsa de estágio profissional em artes plásticas, em Portugal, aberto a membros da instituição da Brigada Jovem de Artes Plásticas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA