Executivo aproxima o livro aos leitores

Mário Cohen |
24 de Agosto, 2016

Fotografia: Contreiras Pipa

A estratégia do Executivo de promoção da leitura, produção discográfica e alargamento das bibliotecas públicas no processo de constituição da nova Angola visa aproximar o livro dos leitores, disse quarta-feira, em Luanda, o director do Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INIC).

Discursando na abertura da 10ª edição da Feira Internacional do Livro e do Disco, que decorre até domingo, no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), em Luanda, Gabriel Cabuço disse ser importante que a promoção da leitura seja desenvolvida em todo o território nacional, para que o conhecimento científico e literário abranja toda a população.
Iniciativas do género, disse, contribuem para que a democratização do saber e da ciência seja um factor de acesso ao emprego, principalmente para a camada mais jovem.
Já a vice-governadora para a Área Social, Jovelina Imperial, realçou  que a evolução da literatura angolana, a julgar pela quantidade e qualidade das obras publicadas todos os anos, representa para o país um avanço cultural.
Para a governante, esta edição da Feira Internacional do Livro e do Disco deve constituir-se  numa plataforma para aproveitar o reforço do intercâmbio e para a aproximação entre a classe artística nacional e os expositores estrangeiros. “A produção literária é uma actividade difícil e um grande desafio para qualquer indivíduo que aposta na arte de escrever”, disse a governante, tendo acrescentado que a música representa uma modalidade que desenvolve a mente humana, promovendo o equilíbrio, proporcionando um estado agradável, assim como facilita a concentração e o desenvolvimento do raciocínio.

Material de leitura

Na feira, está disponível, nos mais de 30 stands, material de leitura para o público. Entre os livros infantis, destaca-se “A esfregona dançarina”, de Cremilda de Lima, “A roda da amizade”, de Zulinni Bumba, “O pano”, de Rosalina Lina de Carvalho, “A filha do soba”, de Maria Celestina Fernandes, e “Os animais de duas gibas”, de Maria Eugénia Neto.
Além dos livros infantis, estão expostos na feira livros didácticos como “A história do ensino em Angola (1878 a 1914)”, de Michael Anthony Samuels, “Como elaborar um projecto”, 2ª edição, de Honoré Mbunga, “A crise normativa do português em Angola”, de Paulino Soma Adriano, “Do acto ao exercício da cidadania”, de Filipe Zau, “Aventura de um estudante angolano no estrangeiro”, de Augusto Alfredo, “Cooperação sem desenvolvimento”, de João Milando, e “Os títulos do banco central de Angola - análise para a compreensão da sua natureza”, de Manuel Camati.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA