Executivo investe em infra-estruturas


3 de Maio, 2016

Fotografia: João Gomes

O director nacional para Formação Artística, António Feliciano Dias dos Santos “Kidá”, aplaudiu, ontem, em Luanda, o investimento do Executivo para o desenvolvimento das artes, como exemplo citou a criação de infra-estruturas de ensino.

Em declaração ao Jornal de Angola, no final de uma visita dos alunos de dança ao Complexo das Escolas de Arte em Luanda (Cearte), António dos Santos informou que a construção do Cearte possibilitou reorganizar o sitema de ensino artístico, o que permite fornecer meios adequados aos futuros artistas.
Possui 20 salas de aulas e uma capacidade de acomodação para dois mil e quinhentos alunos e um internato para 164 alunos. Inclui ainda uma biblioteca, um internato para 164 alunos, um auditório com 300 lugares e um pavilhão multiusos.
O empreendimento resulta de um longo processo iniciado nos primeiros anos da independência, com a abertura das primeiras escolas no então Conselho Nacional de Cultura, em 1976, sob direcção do escritor e poeta, António Jacinto.
Inaugurada a 5 de Janeiro de 2015, pelo Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, o Cearte  está localizado na zona do Camama, município de Belas. Constitui uma resposta do Executivo para com a formação académica e técnico profissional da juventude, no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento.
A estrutura, possui além de instalações administrativas, um dormitório com 32 quartos para docentes e estudantes, consultório médico, laboratórios, estúdios, salas para práticas de actuação, refeitório, anfiteatro, pavilhão polidesportivo e outros compartimentos. Erguido num espaço de 4500 metros quadrados, o complexo tem três categorias académicas: o elementar, o médio e o superior, contemplando as escolas Média de Artes Visuais e Plásticas, de Dança, de Música e de Teatro e Cinema, visando a afirmação, a dignidade e reconhecimento das profissões artísticas e o desenvolvimento dos respectivos talentos e aptidões.
António dos Santos considerou as expressões artísticas como uma das vias que permitem uma integração social, principalmente para os jovens, e servem de meio para os mesmos manifestarem as suas ideias e ambições profissionais através da música, teatro, cinema, dança e artes plásticas.
O responsável, que falava a propósito do Dia Mundial da Dança, apelou aos promotores culturais, empresas públicos ou privados no sentido de elaborarem e apoiarem projectos artísticos que sirvam de motivação e inventivo para a formação dos jovens.
Realçou que a dança, assim como a música, de uma forma geral, fazem parte do estilo de vida dos angolanos. Por isso, "vamos ajudar os jovens que se dedicam às danças, pois, por essa via, eles podem redifinir um rumo sustentável para as suas famílias e carreiras pessoais".
O director, formado em Gravura, em Portugal, e Sociologia, no ISCED, em Luanda, aconselhou os estudantes de dança a obterem uma especialização, como forma de melhor desempenharem o universo das artes cénicas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA