Existência humana analisada em palco

Manuel Albano
22 de Agosto, 2015

Fotografia: Eduardo Pedro

O grupo de teatro Protevida exibe, amanhã, às 18h30,  no auditório do Instituto Superior Politécnico do Huambo, o espectáculo “Quando a razão é maior do que a fé”.

Osvaldo Moreira, autor e encenada da peça disse  ontem, na cidade do Huambo, ao Jornal de Angola, que o espectáculo narra a história de um cientista que busca a resposta sobre a origem do mundo e sobre os vários mistérios da vida.
O também director artístico do grupo, explicou que o espectáculo, com duração de uma hora, faz uma análise de vários fenómenos decorrentes na natureza, pondo mesmo em causa a atribuição de vários acontecimentos como “obras atribuídas a Deus”.
A peça faz, ainda, uma abordagem superficial sobre a existência humana, cujo o foco da encenação centraliza-se nos seres humanos: “Tentamos trazer ao debate público temas que a ciência ainda não conseguiu dar respostas sobre a ocorrência e surgimento de fenómenos naturais que inquietam a humanidade”, disse o encenador.
Na peça o personagem “Fiscal de Deus” acredita que o Senhor tem cometido um grande erro e resolve tirar a sua própria vida para ir ter pessoalmente com Deus a fim de aconselha-lo a mudar algumas coisas na terra.
A peça é basicamente um diálogo filosófico em que cada espectadores pode fazer introspecção sobre a sua existência no planeta Terra: “Tentamos criar alguma polémica, entre a Bíblia e a Ciência”, afirmou Osvaldo Moreira.
O grupo Protevida foi fundado em 2008 e tem no seu repertório várias peças, com destaque para “Caminhos da Paz”, “Socos e Pontapés”, “Caminho do Coração”, “A Cadeira” e “Manana”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA