Exposição colectiva mostra criatividade dos jovens

Manuel Albano |
2 de Setembro, 2015

Fotografia: Paulino Damião

A primeira exposição colectiva de pinturas de quadros a óleo e acrílico sobre tela, montagem e arquitectura, do programa cultural “Caderno de artes na escola”, com alunos da escola Alda Lara, é inaugurada dia 23 deste mês, às 18h00, no Memorial António Agostinho Neto em Luanda.

A mostra sob o tema “Criar com os olhos secos” vai estar patente até ao dia 2 de Outubro e integra 40 trabalhos seleccionados de estudantes da Escola Politécnica Alda Lara do Distrito Urbano da Maianga.
O arquitecto e mentor do “Caderno de artes na escola”, Walter Pataca, disse ontem ao Jornal de Angola que o projecto arrancou em Março com o período de selecção de 52 alunos interessados em aprofundar os conhecimentos sobre as artes plásticas e arquitectura. Os estudantes foram submetidos a testes e cada aluno teve a oportunidade de escolher entre os cursos de artes plásticas e arquitectura (Autocad).
Dos 52 alunos inscritos para a formação em artes plásticas, apenas 15 foram apurados. Para o curso de Autocad, que é uma simbiose entre a arte plástica e a arquitectura, dos 30 alunos inscritos foram seleccionados apenas quatro, “devido ao grau de complexidade do curso”.
O “Caderno de artes na escola” tem a colaboração de nove professores, quatro arquitectos, dois artistas plásticos, três engenheiros civis e electrotécnicos, um psicólogo e um sociólogo, ambos de nacionalidade angolana.
Walter Pataca explicou que o projecto pretende incentivar os estudantes ao gosto pelas artes, em particular pelas artes plásticas, afastando-os da delinquência, das drogas e do fenómeno “mata aulas”. As aulas teóricas e práticas são ministradas aos sábados e domingos, das 12h00 às 17h00, na Escola Alda Lara apenas a alunos dessa instituição.

Gosto pelas artes

Para tornar o projecto mais inclusivo e com a participação de mais escolas, Walter Pataca destaca a importância de um maior envolvimento das instituições públicas e privadas, de maneira a apoiarem com materiais didácticos. “O projecto tem permitido dar uma oportunidade aos jovens de terem outras perspectivas e noções sobre as artes e arquitectura”, salientou.
No curso de arquitectura os alunos estão a aprender noções gerais de Autocad, sistemas de coordenada, criação e manipulação de objectos, definir propriedades de novos objectos, textos, volumetria e hachuras “hatch”.
O professor e artista plástico Pedro Quinteiro “Mambo” disse que os alunos aprendem os fundamentos teóricos sobre as artes plásticas, anatomia humana, estudo sobre as cores, técnicas de pintura e preparação de uma tela.
Um dos principais objectivos do “Caderno de artes na escola”, sublinhou, é transmitir conteúdos básicos aos estudantes sobre desenhos à mão livre, por existir algumas regras que normalmente são ignoradas.
Pedro “Mambo” elogiou o empenho e dedicação dos alunos na vontade de aprender uma arte.
“Sentimos que a maior dificuldade apresentada pelos alunos tem sido em absolver os conhecimentos teóricos, devido a profundidade dos conteúdos das matérias sobre artes plásticas”.

Aquisição do material


O pintor Andgraf disse ser importante explorar o lado criativo e imaginário dos estudantes como forma de associar sempre a prática com os fundamentos teóricos. “O projecto só pode dar certo quando existir o empenho de todos. É importante uma maior mobilização dos empresários no sentido de prestarem o seu apoio”, disse.
Mancongani Bunga, estudante da 11ª classe do curso de Informática da Escola Alda Lara, elogiou a dedicação dos professores, mas lamentou as dificuldades encontradas na aquisição de materiais como telas, panos, pincéis e as tintas.
“Sempre quis ser pintor profissional e esta é uma grande oportunidade para concretizar os meus sonhos como artista”, sublinhou.
Eldwino da Silva, estudante da 10ª classe do curso de Construção Civil, realçou que o mais gratificante tem sido poder aperfeiçoar os seus conhecimentos sobre as artes plásticas. Apesar das dificuldades, em particular relacionadas com a carga horária, por as aulas estarem a ser ministradas apenas aos finais de semana, disse que nunca pensou em desistir de realizar um dos seus projectos. “Espero que mais jovens possam aprender uma arte e que no sistema de ensino de base ou médio ser implementado a disciplina de artes plásticas”.
O projecto “Caderno de artes na escola” é uma parceria entre a União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), a Escola Alda Lara e o Memorial António Agostinho Neto.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA