Cultura

Exposição de ferro no aeroporto de Luanda

A exposição de escultura em ferro, de Hildebrando de Melo, patente defronte do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, atrai centenas de pessoas que se mostram surpreendidas com as obras.

O artista plástico Hildebrando de Melo apresenta obras de escultura para saudar Dia de África
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Inaugurada para saudar o Dia de África, a exposição é composta por sete peças, todas em tons de ferrugem, distribuídas entre a zona de embarque e de desembarque do aeroporto 4 de Fevereiro.
De acordo com a organização, a mostra visa transmitir aos passageiros uma mensagem que lhes permita recordar África, em particular Angola.
Vários passageiros louvaram a iniciativa, porque “surpreendem pela positiva”. Na opinião de Rosa Ferreira, residente na Alemanha, as peças podiam estar melhor distribuídas, visto que a maior parte delas está na área de embarque. “Acho que a surpresa seria uma maior quantidade de peças à disposição na zona de quem chega a Luanda”.
O português Jorge Gameiro de Freitas, além de corroborar com a opinião anterior, lamentou a ausência de cores vivas nas peças, pois considerou-as características das obras e cultura africana, em todos os estilos. “Vi peças boas, embora não tenha acesso a um catálogo ou ficha informativa sobre o seu significado”, considerou.
O turista etíope Didier Haíllé, mostrou-se satisfeito pela iniciativa e sugeriu que a mesma se  estenda para artistas de todo o continente residentes em Angola, já que a exposição é comemorativa do Dia de África. “Mas pelo pouco que vi, prova que o autor tem talento. Está de parabéns”. A iniciativa tem o patrocínio e apoio de várias instituições públicas e privadas.
Hildebrando de Melo nasceu no Huambo e estudou pintura na Associação das Lameiras, em Vila Nova de Famalicão, Portugal. Vencedor do Ensart 2004, na categoria juventude, do concurso Sona “Desenhos na Areia”, tem a distinção Angola 30 º, como artista do ano. Expôs em 1993, em Vila Nova de Famalicão e participou em dezenas de exposições colectivas e individuais das quais se destacam Arte e Moda, 30 anos de Arte Contemporânea, e Bienal de Veneza - Pavilhão de Angola.

Tempo

Multimédia