Exposição “Luz e Vida” inaugurada em Luanda

César Esteves|
1 de Agosto, 2015

A pintora Zinha estreou-se, ontem, em Luanda, com a inauguração da exposição “Luz e Vida”, inaugurada no Salão de Exposições da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP).

“Luz e Vida” junta 28 quadros, elaborados com a técnica do spray sobre tela, que segundo a pintora é “muito difícil por que exige uma decisão rápida dos motivos a fixar na tela, o artista tem de ter uma ideia construída do quadro, criar pormenores, o que vai fazer a seguir, pois o spray seca muito rápido”, o contrário, o trabalho “não fica bom”.
Com mais de cinquenta anos, dos quais metade dedicada à arte de decoração e pintura, Zinha informou que a mostra só foi possível realizar mais cedo por não se sentir preparada, a decisão surgiu agora por causa dos incentivos de muitas pessoas que admiram o seu trabalho, embora tenha reconhecido que a montagem foi bastante dispendiosa quer material quer espiritual.
“Esta exposição exigiu muito de mim. Cada quadro que eu acabasse ficava sem saber se as pessoas iriam gostar, se estava realmente acabado, era muita ansiedade, porque sabia que iria mostrar para um grande público”.
Dezoito meses o tempo em que a pintora precisou para elaboração dos quadros. Depois da estreia, Zinha vai levar a mesma mostra, dia 22, ao Instituto Superior de Artes (ISART), na centralidade do Kilamba.
“Luz e Vida” fica patente até terça-feira e a intenção é seguir para outras cidades do país.
Francisco Domingos Van-Dúnem “Van”,  referindo-se à técnica disse que não se trata de algo desconhecido no mercado nacional, porém, realçou que “a destreza usada por Zinha  é incomum”.
De acordo com Van, a pintora usa esta técnica de um ponto de vista muito peculiar, utiliza métodos e estratégias muito apropriadas que permitem-na alcançar resultados que são bons. “Zinha demonstra preocupação com a composição. Foge, em muitos casos, da forma tradicional da obra de arte para apresentar formas irregulares que vão além das formas já conhecidas, como o quadrado e o rectângulo, ela vai buscar outras formas poligonais, com mais de quatro lados”.
Van sustentou que essa técnica está inserida no estilo contemporâneo, em que o artista manifesta outras preocupações, como as suas ideias, além dos elementos estéticos ou técnicos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA