Cultura

Exposição “Nova Angola” apresentada no Memorial

Mário Cohen

O artista plástico Francisco Vidal apresenta, quinta-feira, às 18h00, no Memorial Dr. António Agostinho Neto (MAAN) a exposição individual “Nova Angola”.

Artista plástico expõe no Memorial Dr. Agostinho Neto
Fotografia: Edições Novembro

A mostra, que fica patente até 31 de Dezembro, junta 11 pinturas e tem a curadoria da produtora Adriano Maia Arte (AM-Arte), em parceria com o MAAN.
Francisco Vidal trabalha em desenhos, esculturas e peças de instalação para criar um universo cuja continuidade reflecte o seu ponto de vista sobre desenvolvimento.
As obras, em vários formatos, são o resultado de uma reflexão cada vez mais meticulosa sobre a realidade que vive. Paralelamente à prática como pintor, desempenhou um papel fundamental na promoção do panorama das artes visuais em Luanda.
Segundo o promotor da mostra, Dominick Tanner, o pintor tem feito várias exposições. Recentemente, apresentou “Água e Luz”, no Centro Cultural Português, “African Industrial Revolution”, com a pintora Rita GT, no Estúdio Candonga, em 2012, “Glocal”, no Regional de um Espaço Sem Fronteiras, Wozen Studio, em 2015, e “BAI Arte 16: respostas ao (Des)envolvimento, na Academia BAI (Luanda), em 2014.
Em 2012, juntamente com Rita GT, António Ole e Nelo Teixeira, fundou o Estúdio Luanda, um colectivo de artistas, espaço de projecto e complexo de estúdio de artistas de Luanda que realiza exposições regulares e executa um programa de educação artística. Francisco Vidal nasceu em 1978. Artista de origem cabo-verdiana e angolana cresceu em Portugal, onde estudou artes nas Caldas da Rainha, e em Nova Iorque.
Dedica-se ao desenho, escultura e instalação, debruçando-se sobre temas como raça, diferença, negritude e diáspora africana, além da herança e desenvolvimento humano.

Tempo

Multimédia