Cultura

Exposição sobre língua portuguesa adia o fecho

Manuel Albano

A exposição itinerante “A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público desde 12 de Junho, no Centro Cultural Brasil - Angola (CCBA), na Baixa de Luanda, e que tinha o seu encerramento marcado para sexta-feira, foi prolongada até 24 do corrente mês.

Paulino de Carvalho Neto, embaixador do Brasil
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A decisão foi avançada, ontem, em Luanda, pela directora do CCBA, Nidia Klein, durante uma conferência de imprensa, razão pela qual o centro vai continuar a privilegiar as actividades culturais paralelas, no sentido de promover também os artistas an-golanos e as suas criações.
O facto de a exposição em sete semanas ter recebido mais de 1.800 visitantes, disse a directora, levou ao alargamento da mostra virtual para permitir a mais pessoas terem acesso ao certame, sobretudo por parte dos estudantes das escolas do ensino de base, médio e universitário.
Nidia Klein explicou que os alunos são dos mais variados municípios de Luanda, inclusive de locais como Ca-tete e Icolo e Bengo. “Estes grupos participaram em actividades de acordo com a faixa etária nas sessões de cinema, jogos e brincadeiras.”
Ao público, disse, o CCBA tem oferecido outros momentos culturais como teatro, feiras de livros, sessões musicais e recitais de poesias que constam em actividades paralelas abertas para crianças e adultos, entre as 10h00 e as 20h00, sob a coordenação do escritor Ondjaki.
O embaixador do Brasil, Paulino de Carvalho Neto, disse que a mostra é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Governo do estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa e o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com a coordenação da Expomus. A acção tem apoio da Premium Consultoria e da Aplha Medic.
O diplomata brasileiro considerou a mostra como uma oportunidade para difundir e valorizar a língua portuguesa, mostrando a convergência que ela tem nos países falantes, permitindo uma maior divulgação da cultura de ambos países. 

 

Tempo

Multimédia