Cultura

Falta de qualidade impede distinções

Roque Silva

O júri da primeira edição do Prémio Imprensa Nacional de Literatura, em conto e poesia, decidiu, por falta de qualidade dos textos, não dis- tinguir nenhuma das 33 propostas de livros submetidas a concurso.

Corpo de júri não atribuiu o galardão a nenhum concorrente
Fotografia: DR

A decisão foi tomada por unanimidade, informou o presidente do júri, Manuel Mwanza, na sessão pública do anúncio da decisão, realizada, ontem, na Biblioteca da sede da Imprensa Nacional, em Luanda. 

Para Manuel Mwanza, após um mês de avaliação do júri não conseguiu encontrar uma propostas de qualidade. A maioria dos textos, continuou, não respeitou os critérios, assentes na originalidade de contributo à cultura nacional e respeito pelas características canónicas do género literário a concurso. Os candidatos eram das províncias do Bengo, Bié, Cabinda, Lunda-Sul, Luanda e Malanje.
O Prémio Imprensa Nacional de Literatura tem como objectivo estimular a escrita, criação literária e os hábitos de leitura, assim como valorizar o talento, descobrir e promover novos autores angolanos. O vencedor desta edição do Prémio Imprensa Nacional de Literatura receberia um milhão de kwanzas e o livro editado.

Tempo

Multimédia