Falta de editoras e de gráficas impede a produção literária


5 de Março, 2015

A falta de editoras, gráficas e patrocínios dificulta os jovens escritores a publicarem as suas obras literárias na Província do Moxico, afirmou o secretário provincial da Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA), Ngaiele Fundão.

Falando a propósito da promoção literária na província, o responsável disse que os jovens escritores enfrentam  dificuldades por ausência de editoras, gráficas e patrocínios.
Para contrariarem esta situação, disse, os escritores da região são obrigados a deslocar-se a outros pontos do país a fim de produzirem e editarem as suas obras. Solicitou à classe empresarial da província, assim como às pessoas singulares, a prestarem mais atenção a este segmento da sociedade que tanto contribui “para a construção do intelecto”.
O secretário provincial da Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA) no Moxico, Ngaiele Fundão, explicou que a literatura é a arte da palavra e que serve de instrumento de comunicação e de interacção social, cumprindo, desta forma, o papel de transmitir os conhecimentos e a cultura de uma comunidade.
A Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA)  funciona no Moxico desde 1991 e controla cerca de cinquenta jovens escritores.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA