Cultura

Fases da literatura narradas em palestra

“Os novos intelectuais de Angola e o paradigma do Estado-Nação” é o tema de uma palestra a ser proferida pelo escritor José Luís Mendonça amanhã, às 18h30, no  Camões - Centro Cultural Português, em Luanda.

O escritor aborda o surgimento de novos intelectuais em Angola
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

O escritor vai dissertar sobre a poesia de Agostinho Neto e seus contemporâneos, enquadrada no terceiro período da literatura angolana, designada Geração da Mensagem (Movimento dos Novos Intelectuais de Angola), que segundo alguns ensaístas ocorreu entre as décadas de 40 e 61 do século XX.
De acordo com uma nota de imprensa do Instituto Camões, esse movimento foi  “um momento privilegiado de imposição do processo literário nacional à ordem cultural colonial, então vigente”.
José Luís Mendonça vai fazer uma fusão dos conceitos de “Literatura, Nação e História, como pano de fundo do enquadramento histórico da poesia de Agostinho Neto, membro efectivo do Movimento dos Novos Intelectuais de Angola (1948), da Revista Mensagem (1951-1952) e do período crucial da história da Literatura Angolana”, bem como da vigência deste legado na actualidade.
O desenvolvimento da poesia africana assente em pressupostos morais e materiais contidos no poema “A Voz Igual” vão também ser abordados pelo escritor, bem como os princípios ético-antropológicos que, na actualidade, condicionam o mérito político dos líderes africanos.
Segundo José Luís Mendonça, a afirmação cultural da Geração de 50 está cristalizada  na História de Angola, como rico e inextinguível legado que as gerações dos nacionalistas não puderam concretizar, dada a repressão colonial. “Hoje, a total liberdade conferida pela Independência de Angola constitui uma oportunidade para o resgate pleno de vários instrumentos ideológicos culturais, que nos foram legados pelos nossos ancestrais”, afirmou.
José Luís Mendonça nasceu no Gulungo Alto, província do Cuanza-Norte, a 24 de Novembro de 1955. Estudou Direito na Universidade Agostinho Neto, em Luanda. Actualmente é director do Jornal Cultura, da Edições Novembro EP,  e apresentou recentemente o seu pedido de desvinculação da União dos Escritores Angolanos (UEA).

Tempo

Multimédia