Festa das artes dramáticas em Moçâmedes


5 de Agosto, 2016

Um festival de teatro, em alusão ao 167.º aniversário da cidade de Moçâmedes, assinalado ontem, decorre domingo  com a participação de grupos das províncias do Namibe, Luanda, Huíla, Cuando Cubango e Benguela.

O director do Colectivo de Artes da Escola Rei Mandume e coordenador da iniciativa, Gervásio Gourgel, disse que o festival    tem como objectivo entreter a população e promover o intercâmbio entre os grupos de teatro.
Gervásio Gourgel destacou a participação dos grupos de teatro “Orquídea” e “Nossa Senhora de Fátima” da província da Huíla, “Velas”, de Luanda, “Horizonte de Artes”, de Benguela, “Manenecuva”, do Cuando Cubango, e “Omwenho”e  “Arte da Weliwítschia”, do Namibe.
“As peças a serem apresentadas foram seleccionadas de acordo com a realidade de cada província e os grupos vão ter um tempo determinado para sua apresentação, num palco definido pela organização. Contamos com a participação dos nossos munícipes, pois a festa é nossa”, salientou o coordenador da iniciativa.
Fundada em 1864, a cidade de Moçâmedes foi, entre 1665 e 1676, visitada com certa frequência por barcos que navegavam para o sul, rumo ao oriente. Nesta fase, aproximaram-se à baía, conhecida na altura por Ancra do Negro, para se abastecerem de víveres e de água. Foi assim que o tenente-coronel Pinheiro Furtado, em homenagem ao então governador de Moçâmedes, mudou o nome de Ancra do Negro para Baía de Moçâmedes.
Em 1846, ano da fundação do distrito, teve início a colonização com a chegada  do primeiro grupo de imigrantes portugueses, vindos de Pernambuco.
Traços de toda a sua trajectória histórica podem ser encontrados em sítios históricos como a Alfândega, cadeia militar, cadeia São Nicolau Bentiaba, capela da Nossa Senhora do Mundo, capela da Praia Amélia e a capitania do Porto.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA