Cultura

"Festeauíge" encerra com sucesso

A quinta edição do Festival de Teatro do Uíge (Festeauíge), realizado de 23 de Junho a 1 de Julho pelo Colectivo de Artes Nzoji Yeto, encerrou com sucesso, tendo em conta as nomeações e homenagens aos actores que já não estão no activo.

O "Festeauige" tem periodicidade anual, e serve para assinalar as festas da cidade do Uíge, que este ano completou 100 anos desde a sua elevação à categoria de cidade.  Massificar a arte para o desenvolvimento da cultura da região consta entre os objectivos do festival, que decorreu sob o lema “Pela unidade da classe e pelo desenvolvimento da cultura, viva o teatro”.
Este ano participaram 12 grupos, dos 22 inscritos. O director do Nzoji Yeto, Domingos Nicolau, disse à Angop que os grupos tiveram boa apresentação em palco, houve peças de qualidade como os temas, que foram educativos,  superando a edição passada.
“Estamos todos satisfeitos pelos resultados alcançados nesta edição. Tivemos 14 nomeações, o melhor espectáculo, do primeiro ao terceiro lugares para concorrentes locais e visitantes. Premiamos, também, os três melhores actores, o espectáculo e actor revelação”, disse o responsável do festival. />O colectivo Luzingo Malembe, do município de Negage, apresentou “A maldita herança”, sendo agraciada como melhor espectáculo dos grupos residentes durante o festival, seguido do grupo Protesa Teatro, com a peça “O outro lado do amor”, ficando na terceira posição as “Novas criaturas em Cristo”.
O prémio de Melhor Actor Residente foi atribuído para os actores Fineza da Consolação Malungo (em primeiro), seguida de Constantino Malungo Miguel e de Joana Venâncio Domingos, dos grupos “Mensageiros de Cristo”, “Puau”, “Protesa teatro”, respectivamente.
O grupo “Etu ni Nzambi”, de Luanda, apresentou a peça “A prisioneira”, premiada como Melhor Espectáculo dos grupos visitantes , seguido de os “Bismas Teatro”,  de Benguela, que exibiu “O armário e a cama”, e o grupo “Dois 100”, de Luanda, com a peça “Recuso-me a ir tão cedo”.

Tempo

Multimédia