Cultura

Festival de jazz no palco da Lusíada

Um  concerto de jazz realiza-se no próximo dia 30, às 18h00, no auditório da Universidade Lusíada, numa sessão com entradas livres, especialmente dedicada aos estudantes da instituição de ensino superior e a todos os interessados, na reedição do projecto “Na Cidade, Jazz” do crítico e divulgador Jerónimo Belo.

Nino Jazz participa em dueto com Mário Gomes num concerto na Lusíada
Fotografia: DR

O concerto vai ter a participação dos instrumentistas Nino Jazz (piano e  teclados) e do guitarrista Mário Gomes, e inclui, também, a exibição do filme “Fim de semana no Ascensor”, de Louis Malle, obra-prima do cineasta francês, que conta com a magnífica banda sonora do genial trompetista americano Miles Davis.
“Na Cidade, Jazz” vai decorrer a 30 de Maio e 1 de Junho próximo, e visa levar este género musical a um público universitário e a um conjunto de personalidades entre jornalistas de cultura e música.
“O meu objectivo e desejo é dar maior projecção aos músicos e artistas locais que se expressam numa linguagem jazzy, aproveitar da melhor forma a generosidade da Lusíada, que há muito abriu as suas portas ao Jazz, e que se mantém a única a fazê-lo entre nós, e ainda consolidar a celebração do Dia Internacional do Jazz, que Angola comemorou pelo quinto ano consecutivo de forma empenhada e sem apoios significativos”, disse Jerónimo Belo.
Nesta edição, segundo o organizador, a actividade cultural de divulgação de jazz vai estender-se à Academia BAI, “onde tem havido uma excelente programação e boa recepção para temas culturais, designadamente para a divulgação do Jazz, como já aconteceu em edoções anteriores, como em 2017”.
A Academia BAI vai acolher, no dia 1 de Junho, a partir das 17h30, também com entradas livres, uma exposição fotográfica sobre a temática Jazz e ainda, como complemento, a presença de um duo jazzístico, formado pelo guitarrista Carlos Praia e Pedro Aguilar em contrabaixo.
Constam do programa a exibição do filme “I’m not your negro (Eu não sou o teu negro)”, que se baseia num texto importante do romancista, poeta, dramaturgo, ensaísta, activista, que foi um dos grandes intérpretes da América do século XX e da experiência afro-americana em particular, James Baldwin.
É um documentário notável de Raoul Peck, cidadão do mundo, nascido no Haiti, que dá voz às palavras do activista e escritor James Baldwin. Trata-se de um tema muito actual sobre as questões raciais na América.
Recorde-se que  um concerto alusivo ao Dia Internacional do Jazz foi realizado no passado 30 de Abril em Luanda, no Hotel Sana, onde cerca de 700 amantes desta música conviveram com as bandas “Ndaka Yo Wiñi Trio”, “Etokeko Jazz Quarteto”, liderado pelo pianista Nino Jazz, e com a formação do guitarrista Pedro Madaleno, “Multikulti Quarteto”.

Tempo

Multimédia