Festival de Kizomba distingue Robertinho

Roque Silva |
3 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Eduardo Pedro |

O concurso musical Festival de Música Kizomba (Feskizomba), cujas inscrições decorrem desde ontem até  30 de Abril, homenageia o músico Robertinho, informou o director das Organizações África Cultura.

Aníbal Silva disse que os concorrentes são submetidos a um teste para seleccionar 20 finalistas. A qualidade de produção, a composição e a voz são os condimentos essenciais para passar à fase final. Os finalistas ensaiam durante um mês com uma banda que os vai acompanhar na gala, marcada para o dia 27 de Julho, no Cine Tropical, em Luanda.
As inscrições têm lugar no Centro Cultural Chá de Caxinde, nas casas de vendas de discos Stromp, Valódia, Made in Angola e RMS.
Os candidatos devem ter entre 18 e 35 anos, apresentar um disco com uma música gravada, a composição do tema em papel, mil kwanzas para a incrição e a documentação pessoal.
O FestiKizomba tem o objectivo de descobrir novos valores e já teve como vencedores Margarida de Castro “Nonó”, Neide da Luz, Francisco Ambrósio, Julieta Paulo, Mamaro Kapassa, Maria Kanga e António Silva. Kyaku Kyadaff também participou numa fase final do concurso.
A homenagem a Robertinho é a sexta no concurso, que começou a distinguir referências da música nacional a partir da terceira edição. Já foram distinguidos os músicos Pedrito, Jacinto Tchipa, Carlos Burity, Eduardo Paim e os Irmãos Almeida.
A escolha do autor de “Ka Kinhentu” é o reconhecimento da sua carreira artística com passagem por vários conjuntos da Música Popular Angolana.
Robertinho foi influenciado pelos espectáculos “Kutonoca” por onde desfilaram nomes como Elias dya Kimuezo e Luís Visconde. Fez parte do conjunto Ébanos, em 1970. Robertinho actuou no conjunto “Aliança FAPLA-POVO” como executante de dikanza, numa altura em que, nesta formação, pontificavam Urbano de Casto, Artur Nunes e David Zé (vocais), Babulo (bateria), Hidelbrando José Cunha (viola solo), Nanutu (clarinete), Habana Maior (tumbas), Luís António Massi (saxofone) e Zeca Pilhas Secas (baixo). Com a dissolução do grupo, o artista juntou-se aos Diamantes Negros (1983), com Santocas e Betinho Feijó.
Ocupou o segundo lugar no Top dos Mais Queridos 1984, com o tema “Ka Kinhentu”, e venceu o Prémio Welwitchia com “Desespero”, em 1991.
O músico tem ainda no mercado o single “Saudades de voltar a Cuba”, em 1978, o álbum “Joana”, em 1992, produzido por Eduardo Paim, cujo repertório inclui os temas “Kyowa”, “Kalamaxinde”, “Sanguito” e “Samba Samba”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA