Festival de Poesia homenageia brasileiro

César Esteves |
19 de Março, 2015

Fotografia: Kátia Santos

A segunda edição do Festival de Poesia de Luanda, que começou ontem, homenageia amanhã, às 16h00, na Mediateca, o poeta brasileiro Manoel de Barros, com a exibição do filme “Só Dez por Cento é Mentira”.

A homenagem, uma iniciativa do Movimento Literário Lev’Arte  e da Casa de Cultura Brasil-Angola, enquadra-se no leque de actividades a serem realizadas na segunda edição do Festival de Poesia de Luanda.
O filme, um registo biográfico do poeta brasileiro, é um documentário de 1h20 sobre uma viagem ao universo do escritor e dos seus versos. Realizado e narrado por Pedro César, “Só Dez por Cento é Mentira”, é uma longa metragem e utiliza uma linguagem visual inventiva.
A directora da Casa de Cultura Brasil-Angola, Tessa Pisconti, disse que a homenagem ao poeta serve para promover os livros do autor. “Foi uma das referências da literatura moderna brasileira que morreu o ano passado. Portanto esse é o momento oportuno para homenageá-lo e, ao mesmo tempo, promover os seus poemas”, disse. No mesmo dia, a Casa de Cultura Brasil-Angola realiza às 10h00, na Mediateca de Luanda, mais uma edição do projecto “Sopa de Letras”, criado como incentivo à leitura infantil, por meio da leitura de histórias infantis. 
O coordenador da comissão organizadora do Festival de Poesia de Luanda (FESPOL), Kiocamba Cassua, disse que após a exibição do filme são declamados poemas de Manoel de Barros.
O responsável disse que Manoel de Barros não vai ser o único poeta homenageado no Festival de Poesia de Luanda, que termina sábado. “José Saramago e António Lobo Antunes também são distinguidos.”
O escritor brasileiro Manoel de Barros (1916-2014) pertenceu à Geração de 45, que formou o pós-Modernismo da literatura brasileira. Recebeu vários prémios literários, entre eles dois Prémios Jabutis, o mais importante do Brasil.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA