Festival de teatro descobre talentos

Roque Silva |
24 de Novembro, 2015

Fotografia: Paulino Damião |

A História de Angola contada através do teatro dominou as exibições dos grupos que participaram na primeira edição do Festival de Teatro Angola Independente, durante sete dias na Liga Africana, em Luanda.

A cerimónia de divulgação dos vencedores realiza-se na quinta-feira, no auditório Pepetela do Centro Cultural Português - Instituto Camões. O director do festival, Osvaldo Moreira, disse ao Jornal de Angola que foi uma demonstração da qualidade das peças montadas pelos grupos de Luanda.
Fez um balanço positivo acerca dos 20 espectáculos inéditos, um de cada grupo, retratando vários aspectos e etapas da história de Angola, como a vida de alguns nacionalistas. Por outro lado, informou que o festival permitiu descobrir grupos anónimos e actores com bons desempenhos em termos de dicção e interpretação, além da criatividade que foi revelada e da investigação dos encenadores, cujos resultados de cenários e textos estiveram a altura de dignificar os 40 da Independência nacional. Osvaldo Moreira considerou que os actores emergentes em pouco tempo vão ganhar maior visibilidade no mercado das artes cénicas, ao nível do país, embora tenha reconhecido que os mesmos carecem de orientações para darem continuidade do trabalho apresentado.
“Demonstram ter vocação, apenas devem ser lapidados, caso contrário vamos perder talentos”. O público, na opinião do director, absorveu muitos conhecimentos sobre História de Angola, motivo pelo qual “o júri encontra dificuldades para eleger os três melhores grupos”.
Participaram no festival, diariamente, os grupos Henda Yame, Desejados da Kianda, Diassonama, Kulonga, NAI, Twabixila, Prodartes, Tujingenji, Odeth Tavares, Moral Viva, Vela, Enigma, Amazonas, 1.º de Maio, Mescla, Prodarts, Yeto a Yeto, Pedro Belgio, Renascer e Imbondeiro.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA