Cultura

Festival do Cazenga consolida cooperação

Manuel Albano |

O fortalecimento das relações entre grupos e companhias de teatro nacionais e internacionais são destacados pelo director do Festival Internacional de Teatro do Cazenga (Festeca) como um dos aspectos positivos da presente edição, que decore até domingo, no Centro de Animação Artística Anim’art.

O festival tem permitido mostrar um quadro diferente sobre a realidade cultural angolana
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, Orlando Domingos explicou que o Festeca está a ser uma oportunidade para a promoção, valorização e divulgação da realidade das artes cénicas em particular do teatro e da cultura do país.
O festival, afirmou o director, está a ajudar a mudar a imagem do país além fronteiras sobre o que tem sido feito ao longos desses anos na promoção das artes localmente, o que tem motivado o aumento da participação dos grupos estrangeiros nos festivais de teatro realizados no país.
O director do Festeca garantiu que a assistência aos espectáculos tem melhorado gradualmente, particularmente nesta última semana, fruto de uma maior divulgação do festival e pela qualidade das peças exibidas.
Apesar dos esforços aos poucos recursos da organização, explica, o desafio é continuar  a mostrar um quadro completamente diferente sobre a realidade angolana, nos mais variados sectores do país.
Orlando Domingos explicou que embora  o Colectivo Negro do Brasil e o grupo Madragora Circus da Argentina estarem no país desde a abertura do festival, as dificuldades financeiras não estão a permitir ter os grupos estrangeiros por muito mais tempo em Luanda, impossibilitando a troca de experiências com outras companhias de teatro angolanas.
Amanhã está prevista a assinatura de um acordo de cooperação com os grupos do Brasil e Argentina, no domínios das artes cénicas. “ A importância de uma maior parceria entre os nacionais e estrangeiros é um dos caminho necessários para se melhorar os conteúdos dos textos apresentados nas obras de teatro”.
A criação artística e a adaptação de textos, expressão e actuação têm sido alguns dos pontos debatidos durante a realização de oficinas artísticas e seminários para troca de experiência entre actores e encenadores nacionais e estrangeiros, que tem sido realizado das 9h00 às 12h30, no Centro de Animação Artística Anim’art.

Expressão em debates
A forma de melhor aproveitar o conhecimento dos grupos, tem sido a realização de mesas-redondas com todos os grupos convidados no Festeca, por forma a falarem sobre as suas experiências artísticas enquanto fazedores de arte.
“A adaptação de textos”, “Os conteúdos” e “O processo de criação artística” são alguns dos temas a serem debatidos.  Vão estar em debate temas como “A produção teatral” e “Importância da formação para as artes”
Na programação dos espectáculos do dia, a Companhia de Teatro Shazama, apresenta às 15h00, a peça “Woodways”, enquanto para encerrar as actividades a companhia angolana Tic - Tac, que surgiu em 2009,exibe a peça “Jimbambe - a peste da vingança”.

Tempo

Multimédia