Cultura

Festival Pan-africano adiado

O Governo congolês adiou “sine die” a 11.ª edição do Festival Pan-africano de Música (FESPAM), inicialmente prevista para 19 a 21 destes mês, por “imperativos de agenda”, segundo um comunicado oficial transmitido sexta-feira à agência de notícias Pana.

Governo do Congo pediu desculpas pelo adiamento do evento
Fotografia: Conexão África

“Por imperativos insuperáveis de agenda, o Governo congolês procedeu ao adiamento da 11.ª edição do FESPAM inicialmente prevista para 19 a 21 de Julho de 2017 para uma data ulterior”, precisa o comunicado, acrescentando que “as autoridades competentes anunciarão em tempo útil um novo calendário”.
“O Governo, preocupado em responder às expectativas da União Africana (UA), lembra à opinião nacional e internacional a profunda dedicação das autoridades do Congo aos valores culturais bem como ao espírito acolhedor que caracteriza o nosso continente”, lê-se no comunicado. O Governo congolês expressa as suas desculpas à UA e aos numerosos africanos ansiosos por este grande encontro cultural, garantindo-lhes que “o FESPAM foi apenas adiado e que o Governo congolês vai tomar todas as medidas para acolher delegações que eventualmente chegarem a Brazzaville”.
O comissário-geral do FESPAM, Gervais Huges Ondaye, saudou esta decisão. “É uma decisão de grande alcance para o Congo, África e a comunidade musical mundial  senão para a sua diáspora. Foi preciso fazê-lo porque os sinais enviados para tal não foram  positivos.”
Por outro lado, a cidade de Ponta Negra, alberga, de 14 a 19 de Agosto, a quarta edição do Festival Afropolitano Nómade, sob o lema “Arte e Diálogo ao Serviço da Paz”, com a participação da Argélia, do Benin, da Costa do Marfim, Bélgica, dos Camarões e do Canadá.

Tempo

Multimédia