Cultura

Festival Zwá tem início hoje no Palco da Trienal

A segunda edição do Festival Zwá | Pura Música Mangop que decorre a partir de hoje, entre as 16 e as zero horas, até segunda-feira, no Palácio de Ferro, vai prestar homenagem a quatro artistas nacionais, já falecidos, pelo seu contributo na divulgação e preservação da música urbano angolana.

Wiza um dos homenageados na presente edição do festival da Fundação Sindika Dokolo
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Fernando Alvim, o autor e curador da Trienal de Luanda, que anunciou o facto numa conferência de imprensa, no Palácio de Ferro, afirmou que a segunda edição do Festival Zwá | Pura Música Mangop vai distinguir a título póstumo os músicos André Mingas, Wyza Kendy, Zé Keno e Mário Silva.
Ao guitarrista dos Jovens do Prenda Zé Keno, que faleceu no passado dia 4, vítima de doença, na África do Sul, vai ser pela segunda vez prestado um tributo pela III Trienal de Luanda.
Segundo o vice-presidente da Fundação Sindika Dokolo, Fernando Alvim, as 40 bandas e o número de concertos por dia vão manter-se, em relação à edição passada, em que participaram 272 artistas e, nesta, a previsão é albergar mais de 300. Para proporcionar um ambiente saudável aos músicos e aos espectadores, estão a ser criados bastidores nos quatro palcos: Bengo, Ngola, Kwanza e Axiluanda.
Além das homenagens, acrescentou Fernando Alvim, vai haver espaços específicos para atender a imprensa, pois a creditação é personalizada. Outra boa nova consiste na criação de um festival, que vai ter o nome do malogrado Wyza Kendy, a acontecer brevemente, na província do Uíge. “As receitas deste evento vão ser revertidas à família, para o sustento da mulher e do filho”, garantiu o curador da Trienal de Luanda.
Relativamente ao balanço da III Trienal de Luanda, a directora-geral da Fundação Sindika Dokolo, Marita Silva, revelou que em 562 dias, 83 semanas, foram realizados 2.568 eventos, onde participaram 3.359 artistas e com uma assistência de 254.664 visitantes. Esses números, afirmou Marita Silva, foram resultado de várias actividades, nomeadamente 163 concertos e 1.105 artistas, 30 concertos gospel e 679 artistas, 61 peças de teatro e 391 artistas. Filipe Mukenga, Totó St, Dionísio Rocha, Carlos Lamartine e Carlos Burity foram alguns dos músicos que pisaram o palco da III Trienal de Luanda.
As homenagens inserem-se no quadro da valorização dos artistas que a III Trienal de Luanda tem vindo a desenvolver há já algum tempo, que consiste em prestar tributo às figuras que contribuíram e continuam a contribuir com o seu saber para a expansão da cultura angolana.
Refira-se que o compositor Xabanu foi o artista homenageado na edição passada do Festival Zwá, no dia 28 de Agosto de 2016.
O Festival Zwá é um projecto desenhado em 2008, quando a fundação pensava seriamente na criação de uma revista cultural, mas não via sentido fazê-la sem começar por um festival.
O termo Zwá carrega múltiplos significados, mas todos ligados à raiz das línguas tradicionais. Neste caso, quer dizer som. Sindika Dokolo, presidente da fundação, contribuiu acentuando que em lingala significa ‘toma’, relendo assim: toma este som, certamente para todo o mundo conhecer a música angolana, pura música mangop.

Tempo

Multimédia